Caso de mãe que vendeu três filhas por R$ 6 choca a Índia

Meninas foram resgatadas e agora estão junto com a mãe em um abrigo para tráfico humano perto de Calcutá

BBC Brasil |

BBC

O caso de uma mulher que vendeu as três filhas pelo equivalente a R$ 6 por não conseguir cuidar delas chocou a Índia.

Purnima Halder parece ter 30 e poucos anos, mas não sabe a idade ao certo nem onde nasceu. Para ela, a vida tem sido uma luta constante. Sem nenhuma dose de emoção, ela conta que decidiu se desfazer das filhas Piya, de 10 anos, Supriya, de 8, e Roma, de 4, para evitar que elas seguissem pelo mesmo caminho.

Veja o vídeo:

A história somente se tornou conhecida porque elas foram resgatadas e agora estão, junto com a mãe, em um abrigo para vítimas de tráfico humano em Bijoygunge, a 60 quilômetros de Calcutá.

Os assistentes sociais temiam que elas fossem obrigadas a se prostituir ou serem vítimas de casamentos forçados.

Expulsas

O drama das meninas começou ao serem expulsas de casa pelo próprio pai. Purnima conta que o marido ficava bêbado com frequência e batia nela e nas filhas. Até que um dia ele as mandou embora. Elas acabaram indo morar numa estação de trem, onde Purnima foi convencida a vendê-las para que tivessem supostamente uma vida melhor.

Leia também: Indiana declarada morta pelo marido prova que está viva há 24 anos

Mas o destino delas era incerto, em uma região onde o tráfico humano é um problema sério. Mais de 15 mil crianças desapareceram nas mãos de traficantes em Bengala Ocidental no último ano.

"Isso é o que a vida fez a ela (Purnima). Ela está desesperada. Ela enfrentou a pior escolha que uma mãe poderia ter que enfrentar - se desfazer de suas filhas", afirma Annapurna Ghosh, superintendente da casa que abriga mais de cem mulheres e meninas, além de 30 meninos.

No abrigo, as meninas estão seguras, mas sentem dificuldades de adaptação. Elas ainda estão traumatizadas. E ainda temem que a mãe se desfaça delas outra vez.

    Leia tudo sobre: índiatráfico humano

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG