Atendente que enganou casal de idosos que ganhou na loteria vai para a cadeia

Homem que conferiu dezenas sorteadas mentiu e disse que vencedores de prêmio de um milhão de libras (quase R$ 3,2 milhões) não tinham ganhado nada

BBC Brasil | - Atualizada às

BBC

Um atendente de uma loja na cidade inglesa de Manchester foi condenado a 30 meses de prisão por tentar aplicar um golpe em um casal que havia ganho um prêmio de um milhão de libras (quase R$ 3,2 milhões) da loteria.

Farrakh Nizzar, de 30 anos, disse a Maureen Holt, de 77, que ela não havia ganhado nada com o bilhete quando conferiu os números para ela. Mas ele próprio se apresentou como o vencedor e reivindicou o prêmio da loteria Euromillions.

Leia também:  Casal não sabe o que fazer com prêmio de mais de R$ 470 milhões

Funcionários da Camelot - a empresa operadora da loteria - desconfiaram quando o paquistanês, que enfrenta o risco de ser deportado por estar de forma ilegal no país, não soube dizer onde fez a aposta. Uma investigação da Camelot descobriu a fraude.

'Sortudo'

Maureen e o marido, Fred, de 80 anos, conheciam Farrakh. Eles disseram que confiavam nele e o consideravam "um bom rapaz". O casal viajava de férias quando seu bilhete foi sorteado, no dia 22 de junho. O cheque foi finalmente entregue a eles no dia 2 de agosto.

"Estamos felizes por ter sido feita justiça e o assunto está encerrado. Podemos agora pensar em aproveitar nosso prêmio de loteria e passar algum tempo com a família e amigos", disse o casal por meio de um comunicado. "Entendemos que o acusado escreveu uma carta para nós e estamos ansiosos para lê-la", completou a nota.

Nizzar, que era apelidado pelo casal de Lucky (sortudo, em inglês), admitiu a culpa durante o julgamento.

'Confiança na loteria'

O juiz do caso, Phillip Cattan, disse que o golpe é uma ameaça "para a confiança da população na Loteria Nacional". "A corte precisa mostrar a você e a outros que este tipo de fraude vai gerar uma detenção significativa", completou.

A detetive do caso, Kate Carnally, disse que "as ações de Nizzar foram, na melhor das hipóteses, bobas e, na pior, extremamente cruéis".

"Ele sabia que esta mulher tinha um bilhete premiado e escolheu mentir para ela, privando-a deliberadamente de uma quantia financeira capaz de transformar vidas e que significaria para ela e o esposo segurança financeira na aposentadoria."

    Leia tudo sobre: reino unidoloteria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG