Homem desaparecido por 23 anos volta à sua casa em Bangladesh

Família perdeu contato com Sarkar quando ele foi à Índia em busca de trabalho. Em 1997, ele foi preso ao tentar entrar no Paquistão ilegalmente

BBC Brasil | - Atualizada às

BBC

Um homem natural de Bangladesh reencontrou-se com sua família, que acreditava que ele havia morrido após 23 anos de desaparecimento. Moslemuddin Sarkar, de 52 anos, chegou em Daca nesta terça-feira, um dia depois de ser libertado de um presídio no Paquistão com a ajuda da Cruz Vermelha.

EUA:  Homem diz ter matado menino desaparecido em NY em 1979

AP
Desaparecido desde 1989, Moslemuddin Sarkar (C), 52, é abraçado por seu irmão Sekandar Ali (D) em Daca, Bangladesh (31/07)

Ben Needham:  Mãe de menino desaparecido há 20 anos consegue apoio de Tom Cruise

Ele diz ter sofrido torturas durante os 15 anos que passou na prisão e conta que, até hoje, não entende por que foi mantido em cárcere por tanto tempo. "Pedia às autoridades da embaixada que me enviassem de volta para Bangladesh, mas ninguém me escutava", disse à BBC.

Sarkar foi calorosamente recebido pela família no aeroporto de Daca. A mãe dele chegou a desmaiar ao reencontrar o filho. "Procuramos por ele durante anos, mas perdemos as esperanças e achávamos que ele tinha se afogado no mar, mas a nossa mãe sempre acreditou que o seu filho voltaria para casa um dia", contou o irmão mais novo, Julhas Udin.

Reaparecimento: Empresário desaparecido volta para casa com amnésia 16 dias após sumiço

Mãe de criança desaparecida há 20 anos: ' Eu não vivo, apenas sobrevivo '

A família perdeu o contato com Sarkar quando ele foi à Índia em busca de trabalho, em 1989. Anos depois, em 1997, ele foi preso, quando tentava entrar no Paquistão ilegalmente. "Fui para o Paquistão, acreditando que conseguiria um emprego melhor lá, mas ele me 'pegaram' na fronteira", disse à AFP.

Ele ainda tentou escrever da prisão para a família, mas as cartas nunca foram postadas. A sorte dele mudou quando o Paquistão mandou uma lista de prisioneiros antigos para autoridades do consulado de Bangladesh, que, então, informaram as respectivas famílias. Com a ajuda do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Sarkar foi solto.

    Leia tudo sobre: bangladeshpaquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG