França acha pistas de ator pornô suspeito de desmembrar namorado

Canadense Luka Rocco Magnotta, que teria matado chinês e enviado seus membros a partidos, teria chegado a Paris na semana passada

BBC Brasil |

selo

AP
Ator pornô Luka Rocco Magnotta, 29 anos, suspeito de matar homem em Montreal e enviar partes de seu corpo a partidos políticos em Ottawa, Canadá
A polícia de Paris encontrou pistas de Luka Rocco Magnotta, de 29 anos, um ator pornô canadense procurado pelo assassinato e mutilação de seu namorado, o chinês Jun Lin, de 33 anos, em Montreal. De acordo com as investigações, ele teria chegado à capital francesa ainda na semana passada.

As autoridades canadenses suspeitam do envolvimento de Magnotta com o envio de dois pacotes com membros humanos encontrados em Ottawa e outro com um tronco sem cabeça, em Montreal. No fim de maio, um pacote ensanguentado contendo um pé humano foi entregue no escritório do Partido Conservador, do qual faz parte o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper.

O segundo pacote, que continha uma mão, foi encontrado pela polícia horas depois. Ele estava endereçado ao escritório do Partido Liberal de Ottawa, segundo a mídia local. Horas depois, um tronco sem cabeça foi encontrado no apartamento de Magnotta.

A polícia parisiense disse que o sinal do celular do ator foi rastreado até um hotel no subúrbio de Bagnolet, no leste da cidade. No quarto foram encontradas revistas pornográficas e sacos de vômito de companhias aéreas.

As autoridades francesas cumprem um alerta de prisão emitido pela Interpol , a polícia internacional, também sob os nomes de Eric Clinton Newman e Vladimir Romanov, outras duas identidades do canadense.

Vítima

A suposta vítima do ator, o chinês Ju Lin, de 33 anos, morava no Canadá desde julho de 2011 e estudava engenharia e ciências da computação na Universidade Concordia, de Montreal. Embora ainda não tenham sido divulgados os resultados da perícia, a polícia canadense diz estar certa de que as partes do corpo encontradas são do chinês.

Também há indícios de que um vídeo postado na internet em que um homem usa um picador de gelo para matar outro seja a filmagem do assassinato do estudante. Outros desdobramentos da investigação apontam que Magnotta pode estar ligado a vídeos postados online em 2012 mostrando dois filhotes de gato sendo sufocados dentro de um saco plástico e outro sendo engolido por uma cobra.

    Leia tudo sobre: canadámontrealottawamãoLuka Rocco Magnotta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG