Polêmico comercial britânico convida a diferenciar mulheres de transexuais

Anúncio de casa de apostas, criado para dia reservado a mulheres em festival de corrida de cavalos, é retirado do ar após 400 queixas

BBC Brasil |

selo

Um polêmico anúncio de uma casa de apostas que convida os espectadores a diferenciar "garanhões" de "éguas" alternando imagens de mulheres e transexuais foi proibido no Reino Unido pelo conteúdo "discriminatório".

Controvérsia: Londres proíbe anúncio que oferece 'cura para gays'

Reprodução
Anúncio de casa de apostas britânica que convida a diferenciar mulheres de transexuais provocou reclamações, mas empresa diz ter consultado entidades
Concurso: Transexual de 18 anos chega à semifinal do Miss Inglaterra

O anúncio da casa Paddy Power, veiculado pela TV e pela internet, foi criado especialmente para ser exibido em fevereiro, antes do dia reservado às mulheres no Festival de Cheltenham, que sedia uma das mais célebres séries de corridas de cavalos britânicas.

Ele provocou o envio de mais de 400 queixas à Advertising Standards Authority (ASA), entidade independente que regula o segmento de publicidade na Grã-Bretanha, que decidiu que a peça publicitária não deve ser mostrada novamente na sua forma atual.

O anúncio dizia: "Vamos fazer o dia das mulheres (no festival) ainda mais emocionante com o envio de algumas belas senhoras transexuais para (ajudar a) diferenciar garanhões de éguas." O comercial mostrava uma série de rápidas imagens de pessoas no evento, enquanto uma voz representava alguém tentando identificar o gênero do retratado.

Ao acolher as queixas, a ASA disse: "Consideramos que o anúncio banaliza uma questão altamente complexa e representa um número comum de estereótipos negativos sobre transexuais. Consideramos que, ao sugerir que as mulheres transexuais seriam parecidas com homens travestidos, e que o gênero poderia ser associado a um jogo, o anúncio reforçou de forma irresponsável os estereótipos negativos."

A entidade também condenou a maneira que os termos "garanhões" e "éguas" foram usados no anúncio.

'Especialmente frustrante'

A direção da Paddy Power informou que não tinha a intenção de causar dano ou ofensa e que a empresa ficou desapontada com a decisão da ASA.

Um porta-voz disse: "Essa decisão é especialmente frustrante dado que o comercial tinha sido pré-aprovado pela Clearcast (uma organização não governamental que avalia previamente a publicidade na televisão britânica), que então considerou que o humor nesse anúncio, embora não para todos os gostos, ficou aquém de causar ofensa. Além disso, pedimos à Sociedade Beaumont, um dos principais grupos transgêneros do país, para comentar o roteiro."

"Também escalamos exclusivamente membros da comunidade trans nos vários papéis transexuais do comercial." "Finalmente, é importante ressaltar que o comercial tem quase 600 mil visualizações na internet, com o dobro de 'gosta' do que de 'não gosta' nas avaliações de quem assistiu."

    Leia tudo sobre: reino unidotransexualpublicidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG