BBC defende recusa em divulgar pedido de ajuda às vítimas de Gaza

A emissora de rádio e televisão britânica BBC defendeu nesta segunda-feira a decisão de não divulgar um pedido de doação para ajudar as vítimas do conflito em Gaza, o que provocou protestos de organizações humanitárias, líderes políticos e religiosos, além de estrelas do próprio canal.

AFP |

A empresa pública alegou que a controversa decisão de não difundir o pedido de ajuda às vítimas do conflito em Gaza, que foi imitada nesta segunda-feira pelo canal de notícias Skynews, tem por objetivo manter sua "imparcialidade".

"Defendemos com paixão a imparcialidade da BBC", afirmou nesta segunda-feira o diretor geral da emissora, Mark Thompson, que se mostrou inflexível mesmo diante da tempestade de protestos provocada pela recusa em divulgar um pedido de doações para a compra de medicamentos e comida aos habitantes de Gaza.

Nesta segunda-feira, atores famosos de programas da BBC, entre eles Samantha Morton, indicada duas vezes ao Oscar, ameaçaram nunca mais voltar a trabalhar para a empresa.

Um dos mais conhecidos jornalistas britânicos, John Humprey, apresentador do programa BBC Radio 4, afirmou que a decisão da diretoria da emissora era "um pouco hipócrita".

Mas Thompson parece irredutível. "Nossa decisão está absolutamente em acordo com o enfoque da corporação para a imparcialidade", insistiu.

"Queremos cobrir a história humanitária, queremos cobrir em nossos programas de notícias, onde possamos situá-la no contexto, de maneira equilibrada, objetiva", ressaltou.

"Não se trata de ser ou não imparcial, e sim de mostrar-se humano", respondeu o arcebispo de York, John Sentamu.

Thompson negou que a decisão tenha sido motivada pelo fato da BBC ter sido acusada no passado por Israel de apresentar um viés pró-palestino no noticiário.

"Mas nos preocupamos que seja possível opinar como se nós apoiássemos algo, que pudesse dar a impressão de que tomamos partido", admitiu.

No fim de semana, centenas de pessoas protestaram nas ruas de Londres contra a recusa da BBC a difundir o pedido do Comitê de Urgência para as Catástrofes, que reúne várias organizações não governamentais, entre elas a Cruz Vermelha britânica e a Oxfam.

"A BBC é um vergonha", gritaram os manifestantes. O ministro do Desenvolvimento Internacional britânico, Douglas Alexander, enviou uma carta aos principais canais de televisão com pedidos de que exibissem o pedido das ONGs.

"Depois de consultar os editores, chegamos à conclusão que difundir este pedido, independente da forma, poderia colocar em dúvida a confiança do público na imparcialidade do conjunto da cobertura dos acontecimentos pela BBC", respondeu Mark Thompson ao ministro.

A decisão de não exibir o pedido foi tomada na semana passada de comum acordo com outras emissoras, mas os principais canais de televisão concorrentes da BBC, como a ITV ou o Channel Four, mudaram de idéia.

O Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha, que reúne associações muçulmanas, também protestou contra a decisão da BBC por considerar que é um "grave abandono de suas obrigações para com o público".

ame/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG