BBC defende direito de fazer pergunta incômoda sobre saúde de Gordon Brown

Londres, 29 set (EFE).- A BBC defendeu seu direito a fazer perguntas incômodas sobre a saúde do primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown.

EFE |

Em uma dura entrevista este fim de semana, um dos mais experientes repórteres da emissora pública, Andrew Marr, perguntou a Brown se era um dos muitos britânicos que têm que recorrer aos "analgésicos e outros fármacos para seguir adiante".

Visivelmente constrangido, o líder trabalhista qualificou a pergunta de inadequada e se referiu por outro lado a seus problemas de visão: a perda de um olho durante uma partida de rugby quando era jovem e a necessidade de submeter-se a exames de vista anuais após uma operação por desprendimento de retina no outro.

Segundo fontes do Partido Trabalhista, o escritório do primeiro-ministro se queixou à "BBC" para expressar seu desgosto pelo fato de que a emissora pública tivesse feito uma pergunta sobre a saúde de Brown baseada em um simples rumor lançado em um blog dizendo que estava sendo medicado contra a depressão.

O rumor, que leva circulando três semanas, foi desmentido várias vezes pelo Governo.

O ex-líder trabalhista Neil Kinnock pôs em xeque a sensatez do jornalista e disse que a emissora pública havia se "degradado e desonrado".

Um porta-voz da "BBC" respondeu, no entanto, que o jornalista havia "feito uma pergunta legítima sobre a saúde do líder do país.

Não é a primeira vez que se pergunta a um primeiro-ministro por sua saúde".

O autor do comentário no blog sobre a saúde do primeiro-ministro no qual se baseou o jornalista para fazer sua pergunta disse esta segunda-feira que não tinha provas que Brown tomasse antidepressivos. EFE jr/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG