BBC acusa o governo de censurar documentos do Titanic

LONDRES, 15 ABR (ANSA) - Documentos extra-oficiais dos arquivos da BBC indicam que os estaleiros britânicos e o governo da Grã-Bretanha censuram desde 1947 um programa de rádio sobre o navio Titanic, que afundou em 1912.

Ansa |

A indústria naval ficou preocupada com o medo que o programa poderia trazer de volta, enquanto tentava se recuperar dos problemas econômicos gerados após a Segunda Guerra Mundial.

A BBC pretende exibir o programa de rádio que traz entrevistas com os sobreviventes do Titanic, assim como outros materiais de seu arquivo.

A publicação desses documentos faz parte de uma celebração em memória do naufrágio do Titanic, que aconteceu no dia 15 de abril de 1912.

O navio naufragou nas águas frias do Atlântico Norte, após colidir com um iceberg. O acidente matou 1.522 pessoas, entre passageiros e tripulação.

A companhia responsável pela construção do Titanic, Cunard White Star, e os estaleiros Herland e Wolff, pressionaram a BBC para que ela não exibisse -- ou ao menos adiasse -- o programa.

O programa seria exibido na mesma semana do lançamento de um novo navio, o Cunard, em Belfast.

O pedido de adiamento foi apoiado pelo governo britânico.

Entre os documentos extra-oficiais há um telegrama do primeiro-ministro da Irlanda do Norte e um memorando do comitê executivo da BBC.

O programa de rádio foi exibido durante uma semana e "repentinamente" saiu do ar, apesar da audiência ter girado ao redor de oito milhões de ouvintes.

Atualmente, a BBC conta com várias entrevistas concedidas por sobreviventes do Titanic, incluindo uma concedida pelo primeiro-oficial do navio em 1936.

A publicação do material faz parte de uma iniciativa da BBC de abrir seus arquivos à audiência britânica. (ANSA)

    Leia tudo sobre: galeria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG