Batalha entre Obama e Hillary ocupa a TV da Pensilvânia

É impossível escapar das imagens de Barack Obama e de Hillary Clinton na televisão da Pensilvânia (leste); os dois pré-candidatos democratas estão constantemente na telinha deste pequeno estado americano, a menos de duas semanas das primárias que prometem ser muito disputadas.

AFP |

Para Hillary Clinton as primárias do dia 22 de abril no estado são muito importantes e, por isso, lançou uma série de cinco anúncios de campanha nos quais fala sobre seus méritos. Um desses spots foi gravado em espanhol com o título "Nossa amiga", direcionado para as áreas onde há uma forte comunidade hispânica.

Obama não fez por menos. Acaba de lançar quatro novas propagandas, entre elas uma chamada ""Mother", mãe, no qual evoca a figura de sua mãe que morreu de câncer aos 53 anos em 1995. Nos últimos meses de vida "ela se preocupava mais com as despesas que por sua saúde", disse Obama no comercial de 30 segundos sobre seus planos de assistência médica.

Esses "vídeos" são apenas alguns dos muito divulgados em massa nos canais de televisão. Em um deles, Obama aparece vestindo jaqueta de couro e camisa aberta, falando sobre as dificuldades da classe operária.

Antiga capital da siderurgia americana, o oeste da Pensilvânia é uma região economicamente decadente e Pittsburg retrata essa imagem perfeitamente.

Em outro anuncio, Obama denuncia as ganâncias das empresas petroleiras, parado em frente a um posto de gasolina.

Os anúncios são estratégicos e fazem parte da campanha do senador de Illinois que gasta aproximadamente três vezes mais que sua rival em propaganda eleitoral na televisão, segundo a empresa especializada independente TNS Media Intelligence/CMAG.

Em um dos novos anúncios de Obama, as mulheres de sua vida participam, entre elas a avó de 85 anos.

A meia irmã de Obama, Maya Soetoro-Ng, sua mulher Michelle e suas duas filhas Malia e Sasha, além da avó Madelyn Dunham, destacam as qualidades humanas do senador de Illinois.

Madelyn, que nunca tinha participado da campanha presidencial, ressalta a "profundidade" de seu neto, que sempre mencionou a avó branca em seus discursos, chamando-a de "trabalhadora" e usando esses dois fatos para abordar o assunto da desigualdade racial nos Estados Unidos.

Em um dos cinco novos spots de Hillary, o governador da Pensilvânia Ed Rendell afirma que a senadora por Nova York seria "uma presidente espetacular".

Em outro, é a vez do prefeito da Filadélfia, Michael Nutter, de rasgar elogios à ex-primeira-dama.

O comercial que mais chamou a atenção foi um em que Hillary se mostra orgulhosa de suas raízes familiares da Pensilvânia.

Intitulado "Scranton", mesmo nome da pequena cidade ao nordeste do Estado, o vídeo mostra imagens em branco e preto de Hillary quando criança, com cabelo loiro e sorridente, enquanto caminha pelas ruas da pequena cidade mineradora em 1950.

"Foi em Scranton onde meu pai e eu crescemos e onde meu avô trabalhou em uma fábrica", disse a pré-candidata, enquanto passavam imagens de seu passado tiradas de um álbum familiar.

Nas últimas pesquisas, Hillary, a favorita para vencer as primárias na Pensilvânia, viu reduzir a vantagem perante Obama.

Hillary tem 50% das intenções de votos contra 44% de Obama, de acordo com uma enquete realizada pela Universidade de Quinnipac, divulgada na última terça-feira.

No entanto, a diferença era maior em março quando Hillary tinha 12,5 pontos de vantagem, já na semana passada essa vantagem caiu para nove pontos, segundo o mesmo instituto.

aje/cl/sd

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG