Batalha campal nas ruas de Estrasburgo durante marcha contra a Otan

Os violentos protestos contra a cúpula da Otan em uma Estrasburgo sitiada deixaram neste sábado um hotel incendiado, uma capela saqueada, feridos e detidos, após vários choques entre militantes e a Polícia francesa.

AFP |

Um grupo de Black Blocks (movimentos antiglobalização) deu um aspecto de extrema agressividade à manifestação internacional contra a cúpula da aliança atlântica da qual participaram entre 10.000 e 30.000 manifestantes, segundo a Prefeitura e os organizadores, respectivamente.

Os incidentes deixaram "cerca de dez pessoas levemente feridas, entre os manifestantes", acrescentou a Prefeitura, indicando que "vários" militantes foram detidos.

Já a organização do protesto contra a reunião informou que havia 20 feridos, um deles hospitalizado.

Usando capuzes e armados com barras de ferro, cerca de cem manifestantes muito violentos atacaram e incendiaram um hotel da rede Ibis, uma capela, uma farmácia, um posto de Polícia desocupado e os escritórios vazios do órgão de turismo próximo da fronteira franco-alemã, junto à Ponte da Europa sobre o Reno.

O incêndio destruiu completamente a recepção do hotel, constatou a AFP.

Os bombeiros conseguiram evitar que o incêndio se alastrasse para os outros andares do hotel de 78 quartos.

"A religião não é outra coisa senão a sombra do universo sobre a inteligência humana. Victor Hugo", escreveram os militantes no teto de uma capela da cidade.

No posto de polícia, os manifestantes começaram a retirar as bandeiras da entrada do território francês, quebrando todos os vidros a pauladas e pedradas.

Segundo a Prefeitura, entre os manifestantes havia cerca de 1.000 "particularmente violentos", e os organizadores da marcha "expressaram a sua vontade de se desvincular dos autores dos atos de violência", encurtando o percurso previsto da manifestação.

Cerca de 7.000 manifestantes que vinham da vizinha Alemanha foram retidos pelas forças de segurança alemãs na localidade de Kehl, cidade que faz fronteira com Estrasburgo, acrescentou a Prefeitura em um comunicado.

As forças de ordem recorreram ao uso de jatos de água e de bombas de gás lacrimogêneo.

Nas ruas de Estrasburgo o cenário, após horas de enfrentamentos, era de caos, com pedras, restos de barricadas, vidros estilhaçados e fragmentos de bombas de gás lacrimogêneo espalhados.

Antes dos confrontos, os manifestantes haviam deixado clara a sua intenção de perturbar a realização da cúpula, ocupando as avenidas que levam ao Palácio dos Congressos, onde se reuniram os 28 chefes de Estado e de governo da Otan.

A cúpula da Otan foi realizada sob um impressionante aparato de segurança com 25.000 policiais alemães e franceses para conter os protestos organizados pelos militantes.

Entre quinta e sexta-feira foram registradas mais de 300 detenções. Dois policiais franceses e um fotógrafo alemão ficaram feridos.

bur/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG