Conselho Nacional Eleitoral divulgou confirmação da composição da Casa, após eleições legislativas de março

Dois partidos aliados ao presidente eleito da Colômbia, Juan Manuel Santos, terão 50 das 102 cadeiras do Senado que iniciará seus trabalhos na terça-feira, indicou o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), que no domingo apresentou a confirmação de composição da Casa, depois das eleições legislativas realizadas em março.

O Partido Social de Unidade Nacional (a U, de direita), que lançou a candidatura presidencial de Santos e é o maior da coalizão que apoia o atual presidente Alvaro Uribe, se tornará a principal força da Câmara Alta, com 28 senadores, informou o CNE em comunicado. O Partido Conservador, um dos dois tradicionais do país e também integrante da coalizão de governo, terá 22 cadeiras no Senado a partir de 20 de julho.

Outro partido histórico, o Liberal (PL), contará com 17 senadores, enquanto que o polêmico Partido da Integração Nacional (PIN) - identificado por diversas ONGs como ligado a paramilitares de extrema direita - terá nove legisladores na Câmara Alta, segundo o CNE.

Os partidos Mudança Radical (CR, centro-direita) e Pólo Democrático (PDA, esquerda) ocuparão oito cadeiras cada, enquanto que cinco corresponderão ao Partido Verde do candidato à presidência Antanas Mockus, derrotado por Santos no segundo turno.Por último, o Movimento Mira contatá com três senadores e os indígenas com dois, completou o órgão eleitoral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.