Base de apoio a Santos terá maioria no Senado colombiano

Conselho Nacional Eleitoral divulgou confirmação da composição da Casa, após eleições legislativas de março

AFP |

Dois partidos aliados ao presidente eleito da Colômbia, Juan Manuel Santos, terão 50 das 102 cadeiras do Senado que iniciará seus trabalhos na terça-feira, indicou o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), que no domingo apresentou a confirmação de composição da Casa, depois das eleições legislativas realizadas em março.

O Partido Social de Unidade Nacional (a U, de direita), que lançou a candidatura presidencial de Santos e é o maior da coalizão que apoia o atual presidente Alvaro Uribe, se tornará a principal força da Câmara Alta, com 28 senadores, informou o CNE em comunicado. O Partido Conservador, um dos dois tradicionais do país e também integrante da coalizão de governo, terá 22 cadeiras no Senado a partir de 20 de julho.

Outro partido histórico, o Liberal (PL), contará com 17 senadores, enquanto que o polêmico Partido da Integração Nacional (PIN) - identificado por diversas ONGs como ligado a paramilitares de extrema direita - terá nove legisladores na Câmara Alta, segundo o CNE.

Os partidos Mudança Radical (CR, centro-direita) e Pólo Democrático (PDA, esquerda) ocuparão oito cadeiras cada, enquanto que cinco corresponderão ao Partido Verde do candidato à presidência Antanas Mockus, derrotado por Santos no segundo turno.Por último, o Movimento Mira contatá com três senadores e os indígenas com dois, completou o órgão eleitoral.

    Leia tudo sobre: senadocolombiauribe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG