Cairo, 15 ago (EFE).- Os dois pesqueiros egípcios que conseguiram escapar na quinta-feira de piratas somalis, após passar quatro meses em cativeiro, já estão em águas do Mar Vermelho e retornam às costas egípcias, informaram hoje fontes oficiais.

O ministro-adjunto de Exteriores para Assuntos Consulares, Ahmed Rizk, informou que os 34 tripulantes das duas embarcações trazem consigo oito dos seqüestradores.

Os navios, o "Momtaz 1" e o "Ahmad Samara", foram sequestrados em águas do golfo de Áden em abril e, desde então, houve gestões para libertar a tripulação em troca de um resgate, mas não se chegou a um acordo.

A imprensa egípcia noticiou que as autoridades do Cairo ofereceram na sexta-feira à tripulação a possibilidade de levá-la de avião de Áden, no Iêmen, até o Egito, mas os pescadores rejeitaram a oferta e decidiram retornar com seus navios.

O chefe da guarda-costeira do Egito, Ali Mohammed Rasea, confirmou que os pescadores estão retornando ao Egito depois de descartarem a possibilidade de atracar em Áden.

Os dois navios devem demorar cinco dias para chegar a um porto egípcio, possivelmente o de Suez.

Segundo um dos membros do grupo que mantinha em seu poder os egípcios, os pescadores fugiram após atacar os sequestradores na quinta-feira com paus e machados e conseguir se apoderar de suas armas. EFE aj/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.