Nicósia, 15 jan (EFE).- Os ativistas a bordo do navio Arion do Movimento Free Gaza, com ajuda humanitária destinada a Gaza voltaram esta noite ao porto cipriota de Larnaca, após o bloqueio da embarcação pela marinha israelense a cerca de 160 quilômetros do litoral da Faixa palestina.

Após o retorno do barco a Larnaca, no qual viajava um grupo de 21 passageiros formado por médicos, jornalistas e ativistas de direitos humanos de diversos países, o coordenador dessa missão, Vangelis Pissias, declarou e à imprensa que "a marinha israelense nos ameaçou em águas internacionais a abrir fogo".

Pissias, disse que por volta das 2h locais (22h de Brasília de ontem), que "lhes explicamos que estávamos em águas internacionais e que tínhamos que chegar a Gaza".

Também, acrescentou que "naquele momento embora não atiraram em nós, mas recebemos a mensagem de que se o navio não voltasse imediatamente abririam fogo".

Apesar dos dois bloqueios sofridos, Pissias expressou a intenção do movimento de tentar uma nova travessia com outro barco nos próximos dias.

"Acho que desta vez o navio chegará a seu destino" afirmou. EFE fl/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.