Jerusalém, 29 jan (EFE).- O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, afirmou hoje que fará tudo que for necessário por anular a ação recebida pela justiça espanhola contra os responsáveis por um ataque em 2002 em Gaza contra um chefe do Hamas, no qual morreram também 14 civis.

Em comunicado divulgado pelo Ministério da Defesa de Israel, Barak chama de "delirante" a ação, na qual são acusados o então titular de sua pasta, Binyamin Ben-Eliezer, o chefe do Estado-Maior, general Moshé Yaalon, e mais quatro militares.

"O ministro (Barak) tem a intenção de combater com todo vigor as acusações na Espanha, e fazer tudo o necessário para conseguir a anulação do processo", especifica o texto.

Barak afirma na nota que "quem chama de Crimes contra a Humanidade a liquidação de um terrorista vive em um mundo ao inverso", especificando que o alvo do ataque foi Salaj Chehadeh, dirigente do Hamas.

Além dele, no bombardeio morreram 14 civis, entre eles nove crianças.

A ação recebida pelo juiz espanhol Fernando Andreu foi apresentada pelo Centro Palestino pelos Direitos Humanos. EFE amg/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.