Barak diz que pode deixar Ministério da Defesa de Israel

Jerusalém, 9 fev (EFE).- O ministro da Defesa de Israel e candidato trabalhista nas eleições de amanhã, Ehud Barak, assegurou hoje que não continuará à frente desta pasta se seu partido não eleger ao menos 20 deputados no pleito.

EFE |

"O povo me diz que eu devo ser ministro da Defesa, mas quero dizer que não o serei e não o poderei ser se o Partido Trabalhista não conseguir pelo menos 20 cadeiras", disse Barak.

Os trabalhistas contam atualmente com 19 deputados, mas as últimas pesquisas indicam que perderão entre três e cinco cadeiras na Knesset.

Barak tenta, com isso, obter o voto dos indecisos em um último esforço, antes que mais de 5,2 milhões de israelenses sejam convocados às urnas amanhã.

Os candidatos favoritos são o líder do partido conservador Likud, Benjamin Netanyahu, cuja formação poderia alcançar entre 25 e 27 deputados, e a titular de Exteriores e chefe do Kadima, Tzipi Livni, que conquistaria entre 23 e 25 cadeiras. EFE ap/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG