Barack Obama, favorito para a indicação democrata, está procurando um candidato à vice-presidência, e o nome de sua adversária Hillary Clinton é o mais cotado.

O jornal popular New York Post publicou nesta sexta-feira em sua manchete uma montagem fotográfica dos dois rivais democratas representados como bonecos de casamento em cima de um bolo.

O senador de Illinois teria pedido a James Johnson, ex-dirigente da organização financeira Fannie Mae, que inicie consultas para formar a chapa democrata. Johnson, que se juntou à equipe de campanha de Obama no ano passado, desempenhou um papel semelhante para John Kerry em 2004 e para Walter Mondale em 1984.

Obama não confirmou estas informações, limitando-se a admitir que Johnson é um de seus amigos. "Não faço comentários sobre as questões ligadas à vice-presidência, porque ainda não conquistei a indicação", esquivou-se.

De acordo com o site especializado independente RealClearPolitics, Obama precisa de mais 63 delegados para obter a indicação democrata.

Oficialmente, Hillary Clinton, que prometeu lutar até o fim do ciclo das primárias, ou talvez até a convenção democrata prevista para o fim de agosto, para ganhar a indicação, não é candidata à vice-presidência. No entanto, colaboradores da ex-primeira-dama, que não quiseram ser identificados, comentaram que uma chapa Obama-Hillary permitiria unificar o partido, profundamente dividido depois das primárias.

Segundo o jornal Time, o próprio Bill Clinton teria se declarado interessado pela eventualidade de uma chapa Obama-Hillary. Questionada pelo New York Post, a senadora da Califórnia Dianne Feinstein, que apóia Hillary, afirmou que "se Obama for o candidato, a chapa com mais chances de vencer (as eleições presidenciais de novembro) seria a chapa com Hillary Clinton como candidata à vice-presidência".

"A escolha de um candidato à vice-presidência é muito importante para Obama, pois para os eleitores, será sua primeira decisão presidencial", considerou Celinda Lake, uma especialista do partido democrata.

De acordo com Hank Sheinkopf, conselheiro do partido democrata, a escolha de Hillary Clinton como candidata à vice-presidência permitiria enviar um sinal ao eleitorado branco, idoso e popular que parece faltar a Obama.

Além de Hillary Clinton, outros três nomes, todos de mulheres, também foram mencionados: os da governadora do Kansas Kathleen Sebelius, da governadora de Arizona Janet Napolitano e da senadora de Missouri Claire McCaskill.

A imprensa americana também adiantou os nomes dos senadores Chris Dodd e Joseph Biden, dois veteranos da política e especialistas em política externa, assim como os dos governadores do Novo México, Bill Richardson; da Virginia, Tom Kaine; do Ohio, Ted Strickland; e da Pensilvânia, Ed Rendell. Os dois últimos são partidários de Hillary Clinton.

Segundo a imprensa, Barack Obama poderia até surpreender e escolher um republicano, como o senador Checuk Hagel, ou um independente, como o prefeito de Nova York Michael Bloomberg, ex-republicano.

aje/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.