Barack Obama pede que crescentes déficits dos EUA sejam controlados

Depois de lançar um programa de gastos sem precedentes destinado a impedir o colapso da economia norte-americana, o presidente Barack Obama prometeu neste sábado se esforçar da mesma maneira para conter os bilionários déficits que o país enfrenta.

AFP |

Em seu pronunciamento semanal de rádio, Obama declarou que tanto ele como seu governo estão decididos a fazer "todo o possível para por os explosivos déficits sob controle, enquanto a economia se recupera".

Segundo o gabinete de orçamento do Congresso, o déficit provisório dos Estados Unidos para o ano fiscal 2009 atingirá um recorde de 1,2 bilhão de dólares.

O déficit para o ano fiscal 2008, que terminou em setembro, chegou a 438 bilhões de dólares, 3,1% do Produto Interno Bruto, indicou o gabinete no mês passado em um informe. Mas os dados não incluem o custo do plano de estímulo de 787 bilhões de dólares promulgado por Obama na terça-feira.

Quase um terço dos fundos de estímulo serão para cortes impositivos, totalizando 286 bilhões de dólares, em um esforço para estimular os gastos com o consumo, um motor fundamental da maior economia do mundo.

Mas outros 120 bilhões de dólares serão destinados a projetos de infraestrutura, em setores como o de transporte, de construção de estradas, de melhorias do fornecimento de energia e de instalações de energia renovável. Republicanos influentes e outros críticos disseram que o gigantesco plano de gastos hipotecaria o futuro dos Estados Unidos, pelo qual os filhos e netos do país "pagarão um preço enorme".

Mas Obama disse que está decidido a colocar os gastos sob controle, ressaltando que esse trabalho começará na segunda-feira, quando se reunir em uma reunião com especialistas e legisladores, entre outros, para discutir como se pode diminuir o bilionário déficit.

Leia mais sobre: crise financeira

    Leia tudo sobre: crise financeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG