Barack Obama inicia sua 1ª visita ao Oriente Médio

RIAD - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegou nesta quarta-feira a Riad, na primeira etapa de uma viagem pelo Oriente Médio e Europa.

Redação com agências internacionais |

O avião oficial do presidente americano, o Air Force One, aterrissou no aeroporto internacional da capital da Arábia Saudita às 14h22 locais (8h22 de Brasília). A Arábia Saudita, tradicional aliado dos EUA, é um dos únicos países da região com um plano de paz abrangente para as relações entre o mundo árabe e Israel.

Em sua primeira visita ao reino saudita, Obama se reunirá com o rei Abdullah, que estimulou uma Iniciativa de Paz Árabe, adotada em 2002, que prevê uma normalização das relações entre árabes e Israel em troca de uma retirada do Estado hebreu dos territórios árabes ocupados em 1967.


Obama se encontrou com o rei Abdullah no aeroporto / AP

Riad espera que Obama, ao contrário do antecessor George W. Bush, esteja disposto a pressionar Israel para alcançar uma solução baseada na coexistência de dois Estados, um israelense e outro palestino.

Americanos e sauditas também estão trabalhando em uma estratégia sobre o Irã, o rival regional xiita da Arábia sunita, suspeito de quer produzir armamento nuclear.

Esta é a primeira viagem oficial de Obama ao Oriente Médio desde que ele tomou posse, em janeiro deste ano.

Discurso no Egito

A atividade mais esperada de Barack Obama no Oriente Médio será o discurso dirigido ao mundo muçulmano que será proferido na quinta-feira, na Universidade do Cairo , no Egito.

De acordo com o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, em seu discurso, Obama procurará demonstrar "que os Estados Unidos buscam um relacionamento diferente" com o mundo muçulmano.

Criação de um Estado palestino

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pretende dar ao governo israelense entre quatro e seis semanas para que retire sua rejeição à criação de um Estado palestino e para que interrompa a expansão dos assentamentos, informa nesta quarta-feira o diário israelense "Ha'aretz".

Obama espera do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, uma "posição atualizada" para poder apresentar em julho um plano de paz preliminar que permita avançar em direção à paz no Oriente Médio, assinalou uma fonte oficial israelense ao jornal.

O dirigente americano exige que Israel aceite a criação de um Estado palestino e detenha a expansão das colônias judias em território palestino para resolver o conflito na região.

O chefe do Executivo israelense rejeitou as duas reivindicações e disse que "não se congelará a vida na Judéia e Samaria" (nomes bíblicos e oficiais da Cisjordânia).

Para os palestinos e a comunidade internacional, todas as colônias judias erguidas em território ocupado na Guerra dos Seis Dias (1967) são ilegais, e representam um sério obstáculo para a paz e a criação de um futuro Estado palestino.

Leia mais sobre Obama no Oriente Médio

    Leia tudo sobre: obama no oriente médio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG