Barack Obama anuncia Hillary Clinton como secretária de Estado

CHICAGO - O presidente eleito de EUA, Barack Obama, anunciou nesta segunda-feira os principais cargos de sua equipe de segurança nacional, entre eles sua ex-concorrente à candidatura presidencial pelo partido Democrata, Hillary Clinton, como secretária de Estado, enquanto Robert Gates continuará à frente da Defesa.

Redação com agências internacionais |


Ao anunciar Hillary como substituta de Condoleezza Rice no Departamento de Estado, Obama afirmou que sua ex-oponente "tem a estatura necessária para progredir com os interesses dos EUA ao redor do mundo".

Obama descreveu a senadora como "uma amiga, colega, fonte de conselhos e uma dura opositora durante a campanha". O presidente eleito afirmou ainda que "não tem dúvidas" de que ela será a escolha certa para o cargo.

Hillary Clinton assegurou nesta segunda-feira que "dará tudo de si" em seu cargo de secretária de Estado americana. "Os americanos não apenas pediram por uma nova liderança em seu país, como também pediram para renovar o lugar que os Estados Unidos ocupam no mundo", enfatizou Hillary durante a coletiva de imprensa.

A indicação de Hillary já vinha sendo divulgada há vários dias pela imprensa americana, mas só foi confirmada oficialmente nesta segunda.

Para selar a nomeação de Hillary, foi necessária uma série de negociações entre seus assessores e a equipe do presidente eleito a respeito das atividades do marido da senadora - o ex-presidente Bill Clinton.

"Esta é a hora para um novo começo, um novo despertar da liderança americana para ultrapassarmos os desafios do século 21", afirmou Obama ao anunciar sua equipe em Chicago.


Obama anuncia Hillary Clinton como futura secretaria de Estado / AP

Obama, que tomará posse em 20 de janeiro, também afirmou que vai pedir a permanência do atual secretário da Defesa, Robert Gates, à frente do Pentágono.

O presidente eleito deu como missão ao chefe do Pentágono, Robert Gates, acabar com a guerra no Iraque e devolver o controle do país aos iraquianos.

Obama também confirmou a indicação do general aposentado James L. Jones como conselheiro de Segurança Nacional. Tanto Gates como Jones são republicanos.

"Quando se trata de manter nossa nação segura, não somos nem democratas, nem republicanos, mas sim americanos", afirmou o presidente eleito.

Além disso, Obama designou o advogado Eric Holder como secretário de Justiça e a governadora do Arizona, Janet Napolitano, como secretária de Segurança Nacional. A assessora de política externa de Barack Obama, Susan Rice, será nomeada a embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas.

Ameaça de terrorismo

Obama disse nesta segunda-feira estar disposto a utilizar todo o poder de fogo de seu país para "eliminar a ameaça do terrorismo", depois dos atentados de Mumbai que deixaram pelo menos 172 mortos.

"Não podemos tolerar um mundo em que inocentes são mortos por extremistas. Temos que recorrer a nossa força total, não apenas militar, mas também diplomática e política, para responder a essas ameaças", declarou.

Veja abaixo os membros da equipe de Segurança Nacional de Obama:

Hillary Clinton - secretária de Estado

Advogada, primeira-dama e senadora por Nova York, Hillary Diane Rodham, que adotou o sobrenome do marido, o ex-presidente Bill Clinton, nasceu no dia 26 de outubro de 1947 em Illinois (centro), sendo a mais velha de três irmãos ( leia mais sobre Hillary Clinton ).

Brilhante oradora, Hillary Clinton carrega o peso de uma imagem julgada muito fria e altaneira por seus detratores. Ao mesmo tempo, a senadora por Nova York é uma das mulheres mais admiradas do país, segundo pesquisa Gallup divulgada recentemente.

Suas campanhas eleitorais de 2000 e 2006 em Nova York se converteram em ensaio para a disputa da Casa Branca.

Depois dos atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova York e Washington, Hillary foi considerada uma nova-iorquina modelo, incansável. Em 2002, como integrante do poderoso Comitê de Defesa do Senado, aprovou a resolução autorizando a invasão do Iraque.

Robert Gates - secretário de Defesa

O atual secretário de Defesa Robert Gates, de 65 anos, indicado por George W. Bush, será mantido no cargo. Será a primeira vez que um secretário de Defesa fará parte da equipe de governo de um outro partido.

Gates, ex-diretor da CIA, é considerado um administrador pragmático e tem sido elogiado por republicanos e democratas desde que substituiu o agressivo Donald Rumsfeld, no final de 2006.

Segundo a imprensa norte-americana, o secretário Gates aceitou se manter na pasta por pelo menos um ano e executar a política de Obama para a retirada das tropas estacionadas no Iraque. Depois do prazo de um ano, Gates deve ceder o lugar ao ex-secretário da Marinha Richard Danzig, atual conselheiro militar de Barack Obama.

Eric Holder - secretário de Justiça

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, escolheu Eric Holder, ex-membro da administração Clinton, para secretário da Justiça.

Holder tem 57 anos e, caso seja confirmado no cargo pelo Senado, será o primeiro negro a chefiar o departamento de Justiça. Ele foi secretário-adjunto durante o governo Clinton e conselheiro de Obama durante a campanha eleitoral. Junto com Caroline Kennedy, ajudou a selecionar o candidato à vice-presidência, Joe Biden.

Nascido em Nova York e graduado na Universidade de Columbia, Holder trabalhou durante muitos anos como promotor federal, um trabalho no qual ganhou reputação de inimigo da corrupção no setor público.

O ex-presidente Bill Clinton nomeou-o advogado do Estado para o distrito de Columbia e, em 1997, se tornou secretário-adjunto de Justiça sob o mandato de Janet Reno à frente do departamento.

Janet Napolitano - Departamento de Segurança Nacional

A governadora do Arizona, Janet Napolitano, estará à frente do Departamento de Segurança Nacional, criado após os atentados de setembro de 2001.

A política de 50 anos foi a primeira mulher na história do país a atuar como promotora do governo, procuradora-geral do Estado e governadora de forma consecutiva.

A governadora se opôs a vários projetos de lei que tinham como objetivo punir os imigrantes ilegais e decidiu pôr ênfase no sistema e nas pessoas que tornam possível a imigração ilegal.

Assim, pediu que os Estados que contratam assegurassem que seus empregados residissem de forma legal no país e criou uma unidade destinada a deter os que falsificam documentos de identidade. Napolitano defende reforçar a segurança fronteiriça, mas expressou seu ceticismo sobre a conveniência de levantar um muro na fronteira entre EUA e México.

James Jones - assessor de segurança

O general reformado James Jones, ex-comandante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), será o conselheiro de segurança da Casa Branca.

Jones, de 64 anos, levará à Casa Branca uma ampla experiência em assuntos de segurança. Além de ser comandante da Otan, foi enviado especial para assuntos de segurança e foi presidente de uma Comissão Independente sobre as Forças de Segurança no Iraque, um grupo designado pelo Congresso para avaliar a preparação das tropas iraquianas.

Desde que se retirou do Corpo de Infantes da Marinha no ano passado, trabalhou em assuntos de energia como diretor-executivo do Instituto da Câmara de Comércio dos Estados Unidos.

Susan Rice - embaixadora dos EUA na ONU

Susan Rice, conselheira de Obama para assuntos de segurança nacional, será a embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU).

Rice, de 44 anos, é ex-membro do governo Clinton e não tem parentesco com a atual titular do departamento de Estado, Condoleezza Rice.

Susan Rice foi membro do Conselho Nacional de Segurança e foi sub-secretária de Estado norte-americana para os Assuntos Africanos durante a administração de Bill Cinton.

Leia também:


Leia mais sobre Barack Obama

* Com AFP, EFE e AP

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG