Banqueiro e empresários são presos por lavar dinheiro da máfia na Itália

Roma, 8 mai (EFE).- A Polícia deteve hoje dois empresários italianos e um banqueiro de uma entidade suíça acusados de lavar dinheiro para a Cosa Nostra, a máfia siciliana.

EFE |

Os empresários são Francesco Zumma e seu filho Ignazio, ambos acusados de pôr bens no nome de pessoas e entidades "fantasmas".

O terceiro detido é Nicola Bravetti, co-diretor do banco suíço Arner Bank.

Os Zumma são acusados de ocultar dinheiro proveniente de atividades ilícitas relacionadas com negócios da Cosa Nostra, e teriam investido grandes somas de dinheiro no exterior com a cumplicidade de Bravetti, que, segundo os investigadores, seria o cérebro que planejou a lavagem do dinheiro.

Além da detenção dos três acusados, foram expropriados 13 milhões de euros de uma conta corrente identificada com o nome de "Pluto", de uma filial da Arner Bank, com sede em Nassau, nas Bahamas. Além disso, foram embargadas uma embarcação de luxo e diversos imóveis.

As detenções foram possíveis graças à interceptação de diversas ligações realizadas por Francesco Zummo a Bravetti.

Francesco e Ignazio Zumma já tinham sido condenados em 2006 a cinco e três anos de prisão, respectivamente, por encobrimento e associação mafiosa. EFE ebp/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG