Bangladesh celebra 38 anos de independência em meio a tensões por motim

Nova Délhi, 26 mar (EFE).- Bangladesh, que anunciou a criação de tribunais para julgar supostos criminosos de guerra, lembrou hoje o 38º aniversário de sua independência sem o tradicional desfile militar, suspenso após um motim de guardas de fronteira em fevereiro último.

EFE |

Segundo a agência de notícias bengalesa "UNB", Daca celebrou hoje o acontecimento com fortes medidas de segurança em vários pontos da cidade, embora com a organização de eventos culturais que destacaram o herói da independência do país, xeque Mujibur Rahman.

As celebrações deste ano não contaram com o habitual desfile militar, suspenso depois do motim de guardas de fronteira em fevereiro, e que deixou 74 mortos.

O Governo assegurou na ocasião ter encontrado uma "conexão" entre os episódios de violência suscitados e um grupo fundamentalista islâmico.

As comemorações deste ano estão marcadas também pelo anúncio do Governo de que estabelecerá um ou mais tribunais para julgar supostos criminosos de guerra que atuaram durante o processo de independência, proclamada em 1971.

O ministro da Justiça bengalês, Shafique Ahmed, explicou ontem que o processo de investigação para iniciar os julgamentos "já começou", e acrescentou que o Ministério do Interior já dispõe de uma lista contendo supostos criminosos de guerra.

"Os julgamentos começarão em breve", completou.

Os acusados de assassinar, saquear, estuprar ou obrigar alguém a abandonar o território durante a chamada guerra de independência poderiam ser julgados sob leis internacionais, ainda segundo o ministro. EFE amp/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG