Bandeira palestina é hasteada na Unesco pela primeira vez

Cerimônia em Paris marca entrada de palestinos à agência cultural da ONU, enquanto segue campanha por adesão às Nações Unidas

iG São Paulo |

Reuters
Bandeira palestina é hasteada pela primeira vez na sede da Unesco em Paris

A bandeira da Palestina foi hasteada pela primeira vez nesta terça-feira na sede em Paris da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a única agência da ONU que concedeu aos palestinos o status de membro pleno .

Leia também: Palestinos obtêm status de membro pleno da Unesco

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, participou da cerimônia na qual o hino palestino foi tocado. Os palestinos conquistaram o status de membro pleno da Unesco em 31 de outubro, apesar da oposição dos Estados Unidos e de Israel.

Para os palestinos, a vitória na Unesco é vista como um passo adiante na tentativa de ter seu Estado reconhecido pela ONU .

A agência cultural foi a primeira na qual os palestinos buscaram integração como membro total desde que o presidente Mahmoud Abbas entrou com o pedido de reconhecimento palestino nas Nações Unidas, em 23 de setembro.

A ANP afirmou que pretende entrar com pedido de adesão em outras 16 agências da ONU.

Após aceitar os palestinos, a Unesco teve de mudar suas operações para lidar com um déficit de caixa de US$ 65 milhões, causado pelo corte de ajuda financeira dos EUA à organização.

Segundo o Departamento de Estado americano, uma lei impede o país de contribuir para organizações que aceitem os palestinos como membros antes de um acordo de paz.

De acordo com uma fonte ouvida pela Associated Press, os projetos já assumidos pela Unesco terão prosseguimento, mas ainda não há nenhuma decisão sobre como a organização atuará no próximo ano.

Segundo a rede de TV americana Fox, a agência cortará todos os pagamentos e transações desnecessários enquanto faz uma revisão após a suspensão do financiamento americano. A medida inclui cancelar viagens, conferências e publicações não essenciais, entre outros gastos.

Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: estado palestinopalestinosisraeloriente médioeuaunesco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG