Banco israelense é acusado de não devolver fundos do Holocausto

Jerusalém, 25 jun (EFE).- O Bank Leumi, um dos dois principais bancos de Israel, foi acusado na Justiça de se negar a devolver fundos que supostamente pertencem a sobreviventes do Holocausto ou seus herdeiros.

EFE |

O requerimento judicial foi apresentado pela Comissão para a Localização e Restituição de Bens do Holocausto, que assegura que a entidade tem 3.577 contas que pertencem a vítimas do Holocausto perpetrado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, informa o diário "Ha'aretz".

A Comissão acredita que nessas contas há aproximadamente 300 milhões shekels (cerca de US$ 75 milhões) que foram depositados por vítimas do Holocausto no Banco Anglo-Palestino, o antecessor do Bank Leumi, que agora este se nega a restituir seus legítimos herdeiros.

A entidade financeira sustenta em sua ata de resposta que os registros da Comissão estão "errados" e assegura que colaborou com as investigações sobre o assunto. EFE elb/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG