Banco Goldman Sachs é acusado de fraude nos EUA

O banco de investimentos Goldman Sachs foi acusado nesta sexta-feira de fraude pelo órgão responsável por fiscalizar o mercado de ações nos Estados Unidos. A Securities and Exchange Commission (SEC, na sigla em ingles, órgão equivalente à Comissão de Valores Mobiliários) entrou com uma ação civil contra o banco e um de seus vice-presidentes, Fabrice Tourre, por fraudarem os investidores.

BBC Brasil |

A ação se refere a um produto financeiro atrelado a hipotecas de alto risco (chamadas subprime), negociado pelo banco em 2007, quando o mercado imobiliário dos Estados Unidos começava a apresentar problemas (que depois levariam à crise financeira mundial).

Segundo a acusação da SEC, o banco e Tourre deram "declarações falsas" e omitiram "informações vitais" sobre o produto financeiro.

Perdas
Uma das informações supostamente omitidas foi o fato de que um dos maiores fundos de hedge do mundo, o Paulson & Co, teria ajudado a criar esse portfolio e, posteriormente, apostado contra os papéis.

O banco teria ganho dinheiro com o produto, mas, segundo a SEC, os investidores que apostaram nesses papéis perderam mais de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 1,75 bilhões).

O Goldman Sachs conseguiu da crise financeira mundial sem sofrer grande impacto.

"O produto era novo e complexo, mas a fraude e os conflitos são antigos e simples", disse um diretor da SEC, Robert Khuzami.

"O Goldman Sachs agiu errado ao permitir que um cliente que estava apostando contra o mercado de hipotecas tivesse grande influência sobre quais títulos hipotecários incluir em um portfólio de investimentos, enquanto dizia aos outros investidores que os derivativos haviam sido selecionados por uma terceira parte independente", afirmou Khuzami.

"Acusações infundadas"
Em um curto comunicado, o Goldman Sachs disse que "as acusações da SEC são completamente infundadas na lei e nos fatos".

"Nós iremos contestar vigorosamente (as acusações) e defender a empresa e sua reputação", diz a nota.

As ações do banco registraram queda de mais de 10% logo após a divulgação da medida da SEC.

Esta é a primeira vez que o órgão regulador toma medidas contra um negócio em Wall Street que supostamente ajudou investidores a se beneficiar do colapso do mercado imobiliário americano.

Segundo outro diretor da SEC Kenneth Lench, o órgão "continua a investigar as práticas dos bancos de investimento e de outros envolvidos na securitização de complexos produtos financeiros atrelados ao mercado imobiliario dos Estados Unidos quando este começava a dar sinais de problemas".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG