O Banco da Inglaterra (banco central britânico) indicou em um relatório divulgado nesta quinta-feira que o pior da crise no mercado de crédito já passou. Em seu último relatório sobre estabilidade financeira, o banco diz que as perdas sofridas pelas empresas do mercado imobiliário de risco, ou subprime, em todo o mundo, devem ser metade do projetado por analistas financeiros.

Ainda segundo a instituição, os temores de uma crise financeira "podem ser uma profecia que se auto-alimenta".

"Os mercados de crédito tendem a superestimar significantemente suas perdas, o que, em última análise, poderá ser sentido pelo sistema financeiro e pela economia como um todo", diz o documento.

O banco afirma que alguns bens financeiros já estão mais baratos e avalia que a crise do crédito já dá sinais de alívio.

Risco
A instituição diz que há um grande risco de que os bancos não entendam a mensagem de que a situação financeira mundial está melhorando e continuem relutando em oferecer o acesso ao crédito.

Se isso acontecer, diz o Banco da Inglaterra, o panorama econômico tende a piorar.

O relatório do banco, que é divulgado duas vezes por ano, afirma que existe "um aumento significativo" no risco de um grande banco falir. Isso e a relutância na concessão de créditos podem causar problemas no sistema financeiro.

Segundo o documento, o processo de reajuste da economia está "mais prolongado e difícil" do que se imaginava.

O Banco da Inglaterra prevê que a confiança vai voltar aos mercados gradualmente. Mas o tamanho do problema atual justifica a sua decisão de fornecer uma ajuda financeira de 50 bilhões de libras (mais de R$ 180 bilhões).

No longo prazo, o Banco da Inglaterra quer trocar as regras atuais do mercado de bancos, para que eles façam reservas de segurança maiores durante os períodos de prosperidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.