Banco centro-americano nega ter suspendido repasses a Honduras

Tegucigalpa, 26 ago (EFE).- O Banco Centro-Americano de Integração Econômica (BCIE) assegurou hoje que não suspendeu desembolsos a Honduras, medida solicitada pelos presidentes da região em represália ao golpe de Estado sofrido por Manuel Zelaya.

EFE |

Em comunicado, o BCIE informou que mantém "uma pausa" nas operações em Honduras, onde fica a sede da instituição, e que uma próxima Assembleia de Governadores do banco decidirá sobre os desembolsos.

"Até o momento, o BCIE não tomou uma decisão formal de suspender os desembolsos em direção a Honduras", ressaltou a nota.

O comunicado acrescentou que "o Banco, como ente responsável no financiamento de projetos que beneficiaram mais de 7 milhões de hondurenhos, com US$ 971,4 milhões em desembolsos nos últimos cinco anos, mantém uma pausa nas operações em Honduras, a fim de dirigir suas ações em forma adequada".

O comunicado explicou que, "segundo a normativa que rege o BCIE (...), a única instância que pode tomar a decisão de suspender os desembolsos a um país fundador é a Assembleia de Governadores".

A Assembleia já foi convocada, em data e local ainda não definidos, após uma reunião de trabalho realizada no último dia 22 em San Salvador por governadores e diretores dos países fundadores do BCIE (Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras e Nicarágua), acrescentou. EFE lam/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG