Ban vai amanhã ao O. Médio para tentar conseguir cessar-fogo em Gaza

Nações Unidas, 12 jan (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, viajará amanhã para o Oriente Médio para impulsionar pessoalmente as tentativas de concretizar a recente resolução do Conselho de Segurança que pede um cessar-fogo em Gaza, a qual foi ignorada por Israel e pelo movimento radical Hamas.

EFE |

Em entrevista coletiva, Ban assegurou que o objetivo de sua viagem de quase uma semana é pressionar os líderes da região para conseguir que as duas partes aceitem depor as armas e negociar uma solução duradoura ao conflito, que já deixou mais de 900 mortos.

"Minha mensagem é simples e direta: parem os combates. E, às duas partes, digo: Parem, já", afirmou o principal responsável das Nações Unidas.

Ban lembrou que a resolução 1.860 adotada pelo Conselho de Segurança na quinta-feira é de cumprimento obrigatório para as duas partes, que resistem a interromper suas ações, apesar de negociarem separadamente com o Egito as condições de uma possível trégua.

"Espero que as partes que estão se reunindo no Cairo cumpram o que lhes corresponde, que, pelo menos, significa que os milicianos do Hamas interrompam o lançamento de foguetes e a retirada das forças israelenses de Gaza", disse.

O secretário-geral da ONU admitiu que se sente "frustrado e preocupado" com a recusa do Governo israelense e do movimento palestino de aceitar a vontade do Conselho de Segurança e responder ao clamor internacional em favor de um cessar-fogo.

O secretário-geral viaja na terça-feira até o Cairo, onde, no dia seguinte, se reunirá com o presidente do Egito, Hosni Mubarak, e com o secretário-geral da Liga Árabe, Amre Moussa.

Dali irá para Amã, a capital jordaniana, para conversar com o rei Abdullah II, que respaldou publicamente a iniciativa de Mubarak.

Na quinta-feira, deve visitar Tel Aviv e Jerusalém para se reunir com o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, com a ministra de Exteriores, Tzipi Livni, e com o ministro da Defesa, Ehud Barak.

Posteriormente, vai para Ramala encontrar com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e com o primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad.

As próximas escalas serão Turquia, Líbano, Síria e Kuwait, em cuja capital a Liga Árabe fará uma cúpula entre 19 e 20 de janeiro.

O secretário-geral da ONU esclareceu que seu único contato pelo lado palestino será com os dirigentes da ANP, que são "as autoridades apropriadas", mas destacou que confia em que Governos como o sírio, que mantêm contatos com o Hamas, tenham influência na atuação do movimento islâmico. EFE jju/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG