Kisangani (RDC), 28 fev (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje ao presidente da República Democrática do Congo (RDC), Joseph Kabila, que mobilize as instituições do país para combater a violência sexual e a impunidade dos responsáveis por estes crimes.

Ban chegou hoje à RDC vindo da Tanzânia e logo se reuniu com Kabila em Kisangani, capital da província Oriental, onde disse que "o principal objetivo" da ONU no leste da RDC é "acabar com a impunidade" dos autores de crimes sexuais.

Após uma mudança na programação, o secretário-geral da ONU não visitou a cidade de Beni, na província de Kivu Norte, considerada a mais violenta do país e onde aconteceria o encontro com Kabila.

Ban também não viajará a Bukabu, a capital de Kivu Sul, onde visitaria o Hospital Panzi, dedicado a atender mulheres estupradas e vítimas da violência, e cujo diretor, Denis Mukwege, recebeu vários prêmios por sua luta pelos direitos humanos.

Ainda em Kivu Norte, Ban irá até Goma, capital da província e sede de uma das principais bases da MONUC, que, com 17 mil soldados, é a maior força de paz da ONU no mundo e recebeu inúmeras acusações de não defender os civis.

Além de se reunir com autoridades da missão das Nações Unidas no país, que deverá ser reforçada com outros três mil homens nos próximos meses, Ban tem programados um encontro com autoridades locais e uma visita a um campo de deslocados.

Quando deixar a RDC, Ban viajará para Ruanda, onde se reunirá com o presidente Paul Kagame, e o Egito, onde finalizará sua viagem com a abertura, na próxima segunda-feira, da conferência internacional de doadores à reconstrução de Gaza. EFE hc/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.