Ban pede que Paquistão e Índia retomem processo de diálogo

Islamabad, 4 fev (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje ao Paquistão para realizar uma investigação completa sobre o atentado de Mumbai, cometido no final de novembro, e para mostrar uma atitude cooperativa para com a Índia.

EFE |

Além disso, o líder das Nações Unidas estimulou os dois países a retomar o processo de diálogo.

Em entrevista em Islamabad junto ao primeiro-ministro paquistanês, Yousaf Raza Gillani, Ban disse que "relações globais e cooperativas entre Índia e Paquistão" são "benéficas" para toda a comunidade internacional, e pediu às potências nucleares para resolver "longas" disputas, como a da Caxemira.

O secretário-geral, que horas antes tinha visitado o Afeganistão, acrescentou que relações boas entre os dois países são um imperativo para a "coexistência pacífica" e "transformação socioeconômica" do sul da Ásia.

Ban evitou dar mais detalhes sobre o atentado na capital financeira indiana, que Nova Délhi atribui a um grupo terrorista paquistanês, mas pediu a Islamabad para "adequar" sua legislação de modo que os culpados possam ser levados à Justiça.

Por sua parte, Gillani reiterou que o Paquistão não "permitirá" que seu território seja "utilizado" para lançar ataques terroristas, e se comprometeu a modificar as leis caso seja necessário para processar suspeitos de ter cometido um crime em solo estrangeiro.

O secretário-geral expressou ainda desejo de que John Solecki, trabalhador americano da ONU que foi seqüestrado na cidade de Quetta, sudoeste, na segunda-feira, seja libertado em breve.

O premiê paquistanês assegurou que as autoridades "estão trabalhando" para sua "pronta e certa libertação". EFE igb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG