Tamanho do texto

Nações Unidas, 2 out (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, evocou hoje a figura de Mahatma Gandhi para pedir a comunidade internacional que siga o exemplo do líder indiano e coloque em prática por meio de suas ações os princípios da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Em um ato na Assembléia Geral da ONU em virtude do Dia Internacional da Não Violência, Ban afirmou que o assassinado líder indiano é seu "herói pessoal", pois acreditava mais nas ações que nas palavras.

"A resposta para Mahatma Gandhi sempre estava na ação", explicou o secretário-geral, que pediu que se siga o exemplo de Gandhi ao pôr em prática os princípios da não violência, da justiça e da paz.

Para ele, o legado e os princípios de Gandhi continuam vigentes por meio do trabalho das Nações Unidas, dos líderes religiosos, dos artistas, da sociedade civil e da celebração da Declaração Universal dos Direitos Humanos que este ano completa 60 anos.

"Nossa função é assegurar que os direitos contidos na Declaração sejam uma realidade viva", ressaltou Ban.

Ele advertiu também que "os direitos de muita gente ainda são violados no mundo todo, e por isso o legado de Gandhi é mais importante do que nunca".

O secretário-geral da ONU vinculou a luta do líder indiano pela independência e pelas classes mais desfavorecidas de seu país com os atuais esforços para se alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Já o presidente da Assembléia Geral, Miguel D'Escoto, encorajou em seu discurso que se siga a filosofia de Ghandi de resistência não violenta.

"Se o fizermos, entraremos em processo para libertar a humanidade de sua dependência da violência como método de resolução de diferenças", acrescentou.

No ano passado, a Assembléia Geral da ONU declarou o dia 2 de outubro, data do nascimento de Gandhi, o Dia Internacional da Não Violência para lembrar o legado do líder indiano. EFE jju/rb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.