Nações Unidas, 22 jun (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje ao Governo do Irã para que respeite os direitos fundamentais de seus cidadãos, após a violenta repressão dos protestos da oposição contra os resultados das eleições presidenciais do último dia 12.

A porta-voz da ONU, Michèle Montas, disse que Ban se sente "consternado" pela violência pós-eleitoral e em particular pelo "uso da força contra civis". Pelo menos 20 pessoas já morreram nos confrontos ocorridos após o pleito.

O secretário-geral "pede às autoridades para que respeitem os direitos civis e políticos fundamentais, particularmente os da liberdade de expressão, de reunião e de informação", afirmou Montas em uma declaração.

A porta-voz assinalou que Ban também "pede o fim imediato das detenções, das ameaças e do uso da força", e reitera seu desejo de que se respeite integralmente a vontade democrática do povo iraniano.

O secretário-geral considera que a situação no Irã é um assunto que preocupa a comunidade internacional, e solicita ao Governo e à oposição para que resolvam "de maneira pacífica suas diferenças por meio do diálogo e da legalidade", acrescentou.

A oposição organizou hoje novos protestos e prestou homenagem às vítimas da repressão do Governo iraniano nas manifestações contra os resultados do último pleito presidencial.

O porta-voz do Conselho de Guardiães, encarregado de validar os resultados eleitorais, Abbas Ali Kadkhodaei, reconheceu que em pelo menos 50 cidades houve mais eleitores do que o número real de cidadãos habilitados a votar, o que afetaria cerca de três milhões de votos.

Entretanto, Kadkhodaei opinou que isto não representará uma mudança vital no resultado.

O Governo de Teerã intensificou suas críticas às potências ocidentais, as quais acusa de instigar os protestos, ao mesmo tempo em que estreitou o cerco sobre os jornalistas locais e estrangeiros que cobrem as manifestações. EFE jju/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.