multilateralismo - Mundo - iG" /

Ban pede mais dinheiro para a ONU em nome de multilateralismo

Nações Unidas, 17 abr (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon pediu mais dinheiro para o órgão, hoje, nos Estados Unidos, alegando que a gravidade dos problemas econômicos e ecológicos enfrentados pelo planeta torna mais necessário um novo multilateralismo.

EFE |

Ele defendeu, em discurso na Universidade de Princeton, que nenhum país pode solucionar de maneira isolada grandes males como a fome, a insegurança e a deterioração do meio ambiente.

"Hoje em dia nos encontramos diante de uma realidade atingida pela crise econômica mundial, os conflitos regionais e o aumento das necessidades humanitárias", afirmou o secretário-geral, segundo uma cópia de seu discurso divulgada pela ONU.

Esta situação requer "um esforço mundial que tente buscar respostas para todos e persiga as metas fixadas nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM)", afirmou.

Para ele, esse esforço também deve incluir a luta contra a mudança climática, a pacificação das regiões castigadas por conflitos, a estabilidade econômica e a não-proliferação nuclear.

"Nenhum destes assuntos é novo, mas a intensidade, o alcance e a magnitude às que chegaram, sim", advertiu.

Ban Ki-Moon destacou que a solução para estes problemas passa pelo fortalecimento das Nações Unidas, que cada vez recebe mais mandatos de seus países-membros, mas recursos insuficientes para realizá-los.

"Os amargos enfrentamentos orçamentários (na ONU) dos últimos anos nos afastaram do que se requer, que é um instrumento poderoso e eficaz que seja capaz de enfrentar os desafios mundiais do século 21", afirmou.

"O chamado novo multilateralismo deve escutar todas as vozes e abranger todas as realidades políticas, mas não pode dar privilégios aos poderosos às custas dos frágeis", assinalou.

O principal representante da ONU ressaltou que em um mundo interdependente, os interesses globais são também interesses nacionais.

"Ou todos seguimos adiante, ou todos afundamos, e nisso consiste o raciocínio do novo multilateralismo", disse.

O secretário-geral comprometeu-se a assegurar que a ONU sirva "de agente para conseguir a transformação de que o mundo necessita para superar estes tempos complicados". EFE jju/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG