Nações Unidas, 19 jun (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje à comunidade internacional para que aumente a conscientização sobre a anemia falciforme com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos que sofrem com essa doença e eliminar os preconceitos associados a ela.

Durante a celebração do primeiro Dia Mundial de Conscientização sobre a Anemia Falciforme, Ban apelou aos líderes mundiais para que ajudem a melhorar o conhecimento sobre esta doença, que em dezembro passado foi declarada pela ONU como uma das mais graves de tipo hereditário e incurável.

A anemia falciforme é uma doença hereditária dos glóbulos vermelhos. Os que sofrem desse mal possuem hemoglobina anormal, o que faz com que esses glóbulos adotem a forma de uma letra "C" e se endureçam.

Isso, por sua vez, faz com que estes glóbulos morram cedo e se decomponham mais rapidamente do que os normais, o que causa anemia.

"Quanta mais gente entender melhor a doença, mais poderemos lutar contra ela", expressou Ban.

O secretário-geral explicou que, embora essa doença não tenha cura, há diversas medidas simples para atenuar seus efeitos, como ter uma dieta saudável ou tomar suplementos de ácido fólico.

"É preciso garantir que estas intervenções acessíveis e de bom senso estejam disponíveis para todas as pessoas que sofrem desta doença, para que vivam uma vida saudável e produtiva", pediu. EFE emm/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.