Ban pede diálogo para resolver crise eleitoral da Mongólia

Nações Unidas, 2 jul (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje o diálogo para colocar fim aos violentos protestos por causa de uma suposta fraude eleitoral cuja repercussão causou a morte de cinco pessoas na Mongólia.

EFE |

A porta-voz da ONU, Michèle Montas, disse hoje que Ban expressa "profunda preocupação" pelos distúrbios de segunda-feira na capital do país, Ulan Bator.

"O secretário-geral lamenta que se tenha recorrido à violência para protestar contra a forma como foram realizadas as eleições parlamentares do fim de semana passado", disse Montas.

A porta-voz transmitiu o pedido de Ban "para que todas as partes se contivessem e estabelecessem o diálogo", assim como a apelação do secretário-geral para que não ocorressem mais protestos violentos.

"A Mongólia conseguiu realizar uma transição pacífica à democracia, e o secretário-geral encoraja todos os partidos a respeitar essa conquista e encontrar a via para solucionar a atual crise", acrescentou.

As revoltas foram desencadeadas na segunda-feira, quando milhares de manifestantes tomaram as ruas da capital para mostrar seu desagrado pelas denúncias de fraude nas eleições de domingo.

As autoridades eleitorais ainda não divulgaram o resultado oficial do pleito, mas a imprensa estatal assegura que o governista Partido Revolucionário Popular da Mongólia (PRPM, ex-comunista) obteve a maioria absoluta frente ao opositor e liberal Partido Democrata.

O líder da oposição, Tsakhia Elbegdorj, denunciou casos de compra de votos e subornos dos observadores eleitorais, embora não tenha apresentado provas concretas. EFE jju/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG