Ban pede cessar-fogo na RDC para viabilizar ajuda a civis

Nações Unidas, 11 nov (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje um cessar-fogo imediato no leste da República Democrática do Congo (RDC) para proporcionar ajuda urgente a cerca de 100 mil civis que vivem na zona do conflito.

EFE |

Os civis estão em áreas ao norte da cidade de Goma dominadas pelos rebeldes tutsis, que enfrentam há semanas o Exército congolês em disputa pelo controle da província de Kivu Norte.

"Por causa dos enfrentamentos, esta gente não recebeu praticamente nenhum tipo de ajuda e sua situação é cada vez mais desesperada", apontou o secretário-geral em coletiva de imprensa.

Segundo ele, cerca de 250 mil pessoas foram deslocadas pelos combates e, delas, 100 mil se encontram "sem contato", atrás das linhas rebeldes.

"Peço uma cessação imediata das hostilidades nessas zonas para que se possa dar assistência humanitária aos milhares de deslocados", reiterou.

Ban assegurou ter mobilizado todas as agências das Nações Unidas para dar a ajuda necessária aos que não receberam nenhum tipo de assistência desde o início dos combates, há quase dois meses.

O responsável da ONU também se mostrou particularmente preocupado com as recentes denúncias de assassinatos de civis, saques e violações, tanto por parte dos rebeldes como das tropas governamentais.

"A violação das leis da guerra podem desencadear a busca de responsabilidades criminais, especialmente entre aqueles que estão no comando", advertiu.

A Missão da ONU na RDC denunciou hoje que soldados das Forças Armadas congolesas cometeram saques e agressões contra os civis de Kanyabayonga, uma localidade da província oriental de Kivu Norte.

O Conselho de Segurança da ONU deve se reunir hoje com o subsecretário-geral para Operações de Paz, Alain Le Roy, para discutir a situação na RDC e a atuação da missão do organismo no conflito. EFE jju/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG