Ban pede às grandes potências para eliminar armas nucleares

Nações Unidas, 24 out (EFE) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje às grandes potências para iniciar negociações internacionais com o objetivo de eliminar as armas nucleares.

EFE |

Ban assegurou em reunião sobre desarmamento realizada na sede das Nações Unidas que os países que possuem armas nucleares deveriam adotar mecanismos que assegurem que as nações que não as têm jamais sejam atacadas por este tipo de armamento.

"Os obstáculos ao desarmamento são formidáveis, mas o risco e os custos que representa sua alternativa nunca recebem a atenção merecida", afirmou.

O secretário-geral apresentou uma proposta de cinco pontos para iniciar um processo de desarmamento, que inclui relançar os esforços para fazer cumprir o Tratado para a Proibição de Testes Nucleares (CTBT) e deter a produção de material necessário para elaborar armas nucleares.

"Peço a todos os membros do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) para cumprir suas obrigações sob esse tratado e iniciar negociações que levem ao desarmamento nuclear", afirmou.

Ban pediu ainda a implementação dos acordos de zonas livres de armas nucleares pendentes na Ásia Central e na África, e fez um apelo para que um tratado da mesma natureza seja adotado no Oriente Médio.

O secretário-geral revelou que tem um interesse particular nesta matéria por sua experiência pessoal como cidadão de um país como a Coréia do Sul, que sofreu uma guerra convencional e viveu sob a ameaça do uso de armas de destruição em massa.

"Hoje em dia, há um apoio generalizado no mundo todo à posição de que as armas nucleares não podem ser usadas nunca mais por seus efeitos indiscriminados, seu impacto ambiental e as profundas implicações que representam para a segurança global e regional", ressaltou.

Ban mencionou os cálculos do Instituto de Pesquisa para a Paz Internacional de Estocolmo, que afirmou que o gasto militar em 2007 superou os US$ 1,3 trilhão, e da Instituição Brookings de Washington, de que o custo histórico do arsenal nuclear dos Estados Unidos soma US$ 5,8 trilhões.

"Isto representa um investimento enorme de recursos técnicos e financeiros que poderiam ter sido empregados em outros usos produtivos", lamentou. EFE jju/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG