Ban pede à Rússia maior papel no O.Médio

Moscou, 27 mar (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje ao presidente russo, Dmitri Medvedev, um maior protagonismo da Rússia no processo de paz no Oriente Médio e na resolução de outros conflitos regionais.

EFE |

"Quero que Moscou inicie o mais rápido possível sua iniciativa para resolver a tarefa de garantir a paz e a estabilidade no Oriente Médio", disse Ban, sobre os planos da Rússia de receber uma nova conferência internacional para a solução desse conflito.

Acrescentou que, "além do Oriente Médio, a Rússia poderia contribuir também para a regulação de muitos problemas regionais, como os do Afeganistão, Somália e Sudão, assim como para a solução de problemas relacionados à mudança climática e à crise econômica".

Ban assiste, em Moscou, a uma conferência sobre a estabilização no Afeganistão convocada pela Rússia sob a Organização de Cooperação de Xangai, integrada também por China, Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão e Uzbequistão.

"A Organização das Nações Unidas precisa das qualidades de líder que a Rússia demonstra na solução dos problemas internacionais", disse o secretário-geral da ONU.

O presidente russo expressou seu apoio à iniciativa de realizar sob a ONU uma conferência internacional para buscar soluções à crise econômica e financeira mundial, à margem da cúpula do Grupo dos Vinte (G20, países ricos e principais emergentes) da próxima semana, em Londres.

"Certamente que na cúpula do G20 não encontraremos todas as soluções de que precisamos, por isso apoiamos a iniciativa de convocar uma conferência sobre a crise global sob a égide da ONU", disse Medvedev, segundo a agência "RIA Novosti".

Acrescentou que, em todo caso, "para modelar na prática as decisões que serão tomadas nesta e nas futuras cúpulas do G20, será preciso utilizar os formatos internacionais mais amplos, incluindo a tribuna da ONU".

O presidente russo disse que a Rússia, que é um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas com direito a veto, parte do fato de que "a ONU é uma tribuna internacional universal, que reúne todos os países".

"Como membro responsável da ONU e do Conselho de Segurança, a Rússia continuará dando sua contribuição à reforma desta organização", disse o presidente russo. EFE si/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG