Ban oferece colaboração a bolivianos que quiserem dialogar

Nações Unidas, 12 set (EFE) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou hoje sua profunda preocupação pelos conflitos violentos na Bolívia e pela perda de vidas humanas, e ofereceu a colaboração das Nações Unidas aos bolivianos dispostos a buscar uma solução negociada ao conflito.

EFE |

Ban rejeitou "o uso da violência como via para conseguir avanços políticos" e lamentou também "as tentativas de prejudicar a infra-estrutura econômica da nação", em um comunicado.

Nesse sentido, disse que se unia aos apelos do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, e da Conferência Episcopal da Bolívia, para "pedir um diálogo urgente que encontre um consenso sobre os prementes assuntos que afetam os bolivianos".

"As Nações Unidas estão preparadas para oferecer assistência aos bolivianos que quiserem se comprometer com esse diálogo", disse o líder da organização internacional.

A onda de violência vivida pela Bolívia há vários dias, com protestos contra o Governo de Evo Morales em várias regiões autonomistas, com bloqueios de estradas e ocupação de instituições estaduais, deixou, pelo menos, oito mortos e dezenas de feridos.

O Governo denunciou que os autonomistas, concretamente os "fazendeiros" do leste boliviano, estão perpetrando um "golpe de Estado civil" contra a democracia.

Insistiu ainda em que não responderá com violência às provocações, pois, segundo o Executivo, isso é que os opositores desejam.

Os protestos começaram há mais de duas semanas estimulados pelos governadores regionais e dirigentes cívicos das regiões de Santa Cruz, Beni, Pando, Tarija e Chuquisaca, todos governados pela oposição a Morales. EFE mgl/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG