Ban lembra a Israel que construção de novos assentamentos é ilícita

Nações Unidas, 9 set (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou hoje sua preocupação com a decisão de Israel de construir novas casas para colonos judeus na Cisjordânia, e lembrou que este tipo de atividade em território palestino ocupado é contra o direito internacional.

EFE |

"Este tipo de ação e qualquer atividade nos assentamentos são contrários ao direito internacional e ao Mapa do Caminho" do processo de paz, disse em uma declaração, em nome de Ban, o porta-voz da ONU Farhan Haq.

Ao mesmo tempo, disse que o secretário-geral pede a Israel que responda com ações "positivas" aos esforços da comunidade internacional para "criar condições favoráveis a negociações entre israelenses e palestinos".

Ban "reitera sua chamada a Israel para que pare toda a atividade nos assentamentos, incluindo seu crescimento natural, e desmantele todos os postos avançados construídos em território palestino ocupado desde março de 2001", acrescentou o porta-voz.

Os assentamentos estabelecidos a partir dessa data, que geralmente são rudimentares e absorvem uma ínfima parte do total de colonos, são considerados ilegais pelo próprio Governo israelense.

Israel autorizou esta semana a construção de mais 500 casas em suas colônias da Cisjordânia ocupada, uma decisão que os palestinos qualificaram de "desafio" aos esforços internacionais para reativar o processo de paz.

Cerca de 300 mil colonos judeus residem em mais de 100 assentamentos distribuídos pela Cisjordânia, e outros 200 mil em Jerusalém Oriental, os dois territórios onde, junto com a Faixa de Gaza, ficaria estabelecido o futuro Estado independente palestino.

EFE jju/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG