Ban lamenta condenação de Suu Kyi e exige libertação imediata

Nações Unidas, 11 ago (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, lamentou hoje a condenação da líder opositora birmanesa Aung San Suu Kyi por violar a prisão domiciliar, e exigiu a imediata libertação da opositora.

EFE |

A porta-voz da ONU, Marie Okabe, disse que Ban está "decepcionado" com o veredicto de culpa que um tribunal militar de Mianmar (antiga Birmânia) ditou hoje contra a ganhadora do Nobel da Paz.

"O secretário-geral lamenta firmemente esta decisão e pede ao Governo para liberar de maneira imediata e incondicional Aung San Suu Kyi e a se sentar na mesa com ela sem demora, como parte essencial do processo de reconciliação e diálogo nacional", afirmou a porta-voz.

Acrescentou que, sem a participação de Suu Kyi e dos outros presos políticos em eleições livres e justas, a credibilidade da chamada transição à democracia iniciada pelo regime militar "ficará em dúvida".

Após ser declarada culpada pelo tribunal especial, a Junta Militar presidida pelo general Than Shwe comutou a pena imposta à Nobel da Paz e ordenou que ficasse em prisão domiciliar por 18 meses. EFE jju/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG