O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse nesta sexta-feira que está estudando a criação de um cargo para liderar o combate à violência sexual, pedindo à Assembleia Geral que institua um órgão dedicado aos direitos das mulheres.

"Apesar de alguns progressos nas duas últimas décadas, o ataque deliberado a civis através da violência sexual continua a acontecer em uma base ampla e sistemática", alertou Ban, falando ao Conselho de Segurança em um debate sobre Mulheres, Paz e Segurança.

O objetivo da discussão é analisar a implementação de uma resolução adotada pelo Conselho de Segurança no ano passado, que classifica o estupro e a violência sexual como crimes de guerra se perpetrados como parte de um ataque sistemático.

Ban destacou os atuais conflitos no Chade, na República Democrática do Congo (RDC) e no Sudão como áreas onde o estupro é usado rotineiramente como arma na guerra.

Apenas na RDC, mais de 3.500 mulheres já foram estupradas desde o início do ano, de acordo com um relatório da ONU.

str/ga/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.