Ban Ki-moon pede medidas urgentes contra crise mundial de alimentos

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, fez um apelo nesta segunda-feira à comunidade internacional para que sejam tomadas medidas imediatas e a longo prazo para enfrentar a a crise alimentar, cuja evolução ameaça trazer graves conseqüências políticas e de segurança.

AFP |

"A rápida escalada da crise de disponibilidade de alimentos no mundo alcançou proporções (que exigem medidas) de emergência", disse Ban durante uma mesa redonda com importantes organismos no âmbito financeiro, econômico e comercial, como o Conselho econômico e social da ONU, as instituições de Bretton Woods (FMI, Banco Mundial), a Organização Mundial do Comércio (OMC) e a Conferência da ONU sobre comércio e desenvolvimento (Cnuced).

"Precisamos não apenas de medidas urgentes para enfrentar a curto prazo as necessidades imediatas e evitar a fome em várias partes do mundo, mas também de um aumento significativo a longo prazo da produtividade de grãos", disse o secretário-geral das Nações Unidas.

"A comunidade internacional também deve atuar de forma urgente e organizada para evitar que essa crise tenha conseqüências mais amplas em termos políticos e de segurança", afirmou Ban, para quem a ONU deve "desempenhar um papel preponderante para encontrar as respostas apropriadas para esse problema global".

No domingo, o Banco Mundial (Bird) pediu aos governos dos países membros que intervenham com urgência para evitar que a crise alimentar não empobreça ainda mais 100 milhões de pessoas no mundo.

Robert Zoellick, presidente do Bird, advertiu que a crise poderá ter como conseqüência "sete anos perdidos" de erradicação da fome no mundo.

hc/ap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG