Johanesburgo, 25 fev (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje ao presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, a libertação dos presos políticos, para que a ONU e a comunidade internacional aumentem sua ajuda ao país, que vive uma situação humanitária desastrosa.

A situação do Zimbábue foi a principal questão tratada hoje por Ban e pelo presidente sul-africano, Kgalema Motlanthe, na reunião que mantiveram em Pretória no início da viagem africana do secretário-geral da ONU.

Em entrevista coletiva conjunta de Ban e Motlanthe, o responsável da ONU disse que a comunidade internacional está pronta para aumentar sua ajuda ao Zimbábue, mas pediu a Mugabe a libertação dos opositores e defensores dos direitos humanos presos.

Para o responsável executivo das Nações Unidas, Mugabe e o até há poucos dias opositor e agora primeiro-ministro, Morgan Tsvangirai, devem aplicar o acordo assinado em 15 de setembro para a formação de um Governo de União nacional e progredir na reconciliação nacional.

Na reunião, entre Motlanthe e Ban, na qual estiveram os ministros sul-africanos de Assuntos Exteriores, Finanças e Meio Ambiente, também foi discutida a situação do Sudão e a possível ordem de prisão do Tribunal Penal Internacional contra seu presidente, Omar Hassan Ahmad al-Bashir.

Além disso, falaram, entre outras questões internacionais, da situação na República Democrática do Congo (RDC) e suas relações com Ruanda.

Ban reiterou o compromisso da ONU de proteger os civis e lutar contra os crimes sexuais na RDC, onde o organismo tem sua maior missão de paz no mundo, a Monuc, com 17 mil efetivos.

Em relação à África do Sul, discutiram a situação econômica e a influência do país como único representante do continente no Grupo dos Vinte (G20, os países ricos e os principais emergentes), cuja próxima reunião será em abril, em Londres.

Ban também elogiou o trabalho da África do Sul para reduzir suas emissões de gases do efeito estufa e melhorar os transportes públicos frente à Copa do Mundo de 2010, para o que receberá da ONU uma ajuda de US$ 11 milhões.

Após o encontro com Motlanthe, Ban visitará o ex-presidente sul-africano e Prêmio Nobel da Paz Nelson Mandela. EFE hc/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.