Ban Ki-moon: Ataque à ONU em Gaza foi inaceitável

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que ficou horrorizado pelos ataques israelenses contra um complexo da organização na Faixa de Gaza, depois de ver a destruição durante uma visita ao local nesta terça-feira. Estou horrorizado.

BBC Brasil |

Não posso descrever como me sinto, depois de ver este local do bombardeio do complexo das Nações Unidas. (...) Sentir este cheiro de queimado, ainda está queimando. Este ataque contra as Nações Unidas foi escandaloso e totalmente inaceitável", afirmou.

O secretário-geral afirmou que é necessária uma investigação a respeito do incidente e os que realizaram o ataque contra o complexo devem ser responsabilizados.

A ofensiva das forças israelenses atingiu o complexo da ONU e também duas escolas da organização durante as três semanas dos ataques na Faixa de Gaza.

O escritório da ONU ficou muito danificado e cerca de 40 pessoas morreram em uma das escolas atacadas.

Israel afirmou que militantes palestinos usavam os prédios da ONU como cobertura para lançar ataques, mas os militares lançaram sua própria investigação a respeito dos ataques.

'Fracasso político'
De acordo com médicos em Gaza, pelo menos 1,3 mil palestinos morreram - quase um terço delas crianças -, e 5,5 mil ficaram feridos durante o conflito.

Treze israelenses morreram - três deles civis.

A ONU advertiu que a reconstrução da Faixa de Gaza vai custar bilhões de dólares. Segundo a organização, 50 mil pessoas estão desabrigadas e 400 mil, sem água.

Ban Ki-moon afirmou que as cenas de destruição que viu durante sua visita à Faixa de Gaza são chocantes e tristes e condenou o que afirmou ser uso excessivo da força por parte de Israel.

O secretário-geral da ONU acrescentou que fará tudo o que puder para ajudar no processo de paz na região.

"Envio uma mensagem ao mundo de que este foi um fracasso político coletivo. Então peço novamente a todos os líderes políticos, as partes envolvidas, e todos os grandes líderes mundiais para ajudarem a criar um ambiente - político, social, econômico - que leve à resolução desta questão, para que israelenses e palestinos possam viver lado a lado, em paz e segurança."
Antes de ir à Faixa de Gaza, Ban Ki-moon também se reuniu com o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert.

Ban Ki-moon foi a primeira autoridade política a visitar a Faixa de Gaza desde o início do conflito, entrando pelo território palestino pela passagem de Erez e indo de carro até a Cidade de Gaza.

Cessar-fogo
Soldados israelenses devem completar a retirada da Faixa de Gaza ainda na terça-feira, se o cessar-fogo for mantido.

Mas ocorreram vários incidentes violentos durante o dia.

A Marinha de Israel disparou bombas contra a Faixa de Gaza. Depois, um morteiro teria sido disparado de Gaza para Israel.

Duas crianças foram mortas perto da Cidade de Gaza em uma explosão de munição deixada pelo Exército israelense, segundo autoridades médicas palestinas.

E na Cisjordânia um homem israelense ficou ferido depois de ser baleado enquanto dirigia perto do assentamento de Kochav Hashachar.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG