Ban insiste que Israel deve renunciar a política de assentamentos

Moscou, 15 mar (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou hoje que Israel deve renunciar à construção de novos assentamentos na parte árabe de Jerusalém para abrir caminho para as negociações de paz na região.

EFE |

"Espero que Israel coopere para que sua política de assentamentos não frustre as negociações indiretas, conseguidas com grandes dificuldades pelos Estados Unidos, pela ONU e outras organizações", disse Ban em uma entrevista à agência russa "RIA Novosti".

O secretário lembrou que o Quarteto para o Oriente Médio (ONU, União Europeia, EUA e Rússia), que deverá se reunir em Moscou na sexta-feira, já condenou a decisão de Israel de construir novas casas no leste de Jerusalém.

"Pessoalmente, também condenei essa política de assentamentos, que vai contra o espírito do processo de paz, e o Quarteto fará outra declaração forte (...) para confirmar sua postura na reunião de Moscou", declarou Ban.

Hoje, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou no Parlamento do país (Knesset) que "a construção em Jerusalém e em qualquer outra parte, continuará como foi o costume durante os últimos 42 anos", em referência ao tempo que a cidade, onde os palestinos exigem construir a capital do seu Estado, está ocupada.

Por outro lado, Ban louvou a iniciativa russa de receber uma reunião ministerial dos mediadores do Quarteto "neste momento criticamente importante para o processo de paz no Oriente Médio".

"Estou convencido de que desta vez os líderes do Quarteto conseguirão desempenhar um papel de peso para impulsionar as negociações de paz", afirmou.

Ban ressaltou que "a situação era desfavorável" para isso, mas que mudou graças à decisão dos EUA de tomar as rédeas do assunto e ajudar a organizar negociações indiretas a fim de aproximar palestinos e israelenses.

Graças a isso, "se dá uma boa oportunidade para que os líderes do Quarteto respaldem os próximos passos e procurem definir o papel que os mediadores internacionais devem desempenhar nestas condições", disse.

O secretário-geral da ONU acrescentou que a mediação de Washington contribui para a retomada das negociações indiretas entre palestinos e israelenses e abrirá perspectivas para uma retomada completa do processo de paz no Oriente Médio.

Além de Ban, a reunião do Quarteto em Moscou deve contar com a presença da secretária de Estado americana, Hillary Clinton, do ministro de Assuntos Exteriores russo, Serguei Lavrov, e da chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton. EFE si/pb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG