Ban enfrenta protestos durante visita ao Líbano

Beirute, 17 jan (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, iniciou hoje os compromissos oficiais de sua visita ao Líbano, ao passo que cerca de mil de pessoas se reuniram em frente à sede da organização em Beirute para protestar contra a falta de capacidade das Nações Unidas em solucionar o conflito na Faixa de Gaza.

EFE |

Os manifestantes, convocados pelos xiitas do Hisbolá e munidos de bandeiras palestinas, libanesas, do Hamas e de outras organizações, gritaram palavras de ordem contra Israel e os Estados Unidos.

Algumas pessoas pisotearam uma foto de Ban, embora a televisão "Al-Manar", pertencente ao Hisbolá, tenha dito que a manifestação não era contra o diplomata, mas contra a ONU.

O secretário-geral das Nações Unidas, que chegou ontem à noite a Beirute, se reuniu neste sábado com o primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, e com os ministros de Assuntos Exteriores, Fawzi Salloukh, e de Assuntos Sociais, Mario Aoun.

No palácio do Governo, Ban também recebeu um grupo de crianças libaneses, uma das quais leu uma mensagem pedindo-lhe que ponha fim à tragédia em Gaza e na região.

O diplomata, que disse que a mensagem tocou seu coração, reiterou que continuará "trabalhando pela paz".

"Minha mensagem é que haja paz no Líbano e em todas as partes", disse o secretário-geral da ONU aos jornalistas.

Ban reconheceu que as crianças libanesas sofreram muito durante o conflito de 2006 entre Israel e o Hisbolá, assim como sofrem agora as de Gaza.

"Não é aceitável nem humano que suas amigas em Gaza sofram e que suas casas sejam destruídas", acrescentou.

Por sua vez, Siniora pediu a Ban que transmita ao mundo a mensagem lida pela criança libanesa e requisitou uma posição árabe unificada frente à "ação terrorista" de Israel.

Antes da reunião com Siniora, o secretário-geral da ONU se reuniu com o presidente do Líbano, Michel Suleiman.

Ainda hoje, Ban, que ainda tinha um encontro agendado com o chefe do Parlamento, Nabih Berri, visitará no sul do Líbano o quartel-general da força interina da ONU (Finul). EFE ks/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG