Ban diz que processo contra líder do Sudão no TPI afetou esforços pela paz

Nações Unidas, 5 fev (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou hoje que o processo contra o presidente do Sudão, Omar al-Bashir, no Tribunal Penal Internacional (TPI) afetou os esforços para implementar o acordo de paz no sul do país.

EFE |

Em relatório ao Conselho de Segurança, Ban ressaltou que o caso contra Bashir teve "um grande impacto na dinâmica da política sudanesa e foi uma distração" para a implementação dos assuntos pendentes no chamado Acordo Amplo de Paz (APC), que, em 2005, colocou fim ao conflito no sul do Sudão.

O Governo de Cartum reafirmou, por um lado, seu compromisso de colaborar com a missão de paz da ONU no Sudão (Unmis), e, por outro, alguns de seus membros ameaçam mudar a relação com o organismo caso o tribunal internacional com sede em Haia ordene a detenção de Bashir, segundo o relatório.

No texto, Ban pede às autoridades sudanesas para cumprir as obrigações contraídas no acordo de paz que garantirão a segurança, no território, dos voluntários estrangeiros e do pessoal da Unmis, que há quase quatro anos, supervisiona a implementação do acordo de paz.

O enviado das Nações Unidos para o Sudão, Ashraf Qazi, assegurou em discurso perante o Conselho de Segurança que o processo de paz no sul do Sudão se encontra "em uma conjuntura crítica", faltando dois anos para que termine o prazo de sua implementação.

Além disso, insistiu em que devem começar "imediatamente" os preparativos para a realização do plebiscito de 2011, no qual a população do sul deve decidir se quer seguir fazendo parte do Sudão.

"Estes desafios precisam ser abordados e superados, apesar de contar com um tempo limitado e no meio de uma situação marcada pela incerteza e uma confiança insuficiente entre as partes", afirmou Qazi. EFE jju/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG