Ban diz que é imprescindível reajustar presença da ONU no Kosovo

Nações Unidas, 25 nov (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse hoje que, quase um ano depois de o Kosovo ter declarado unilateralmente sua independência, não há como não reajustar a presença da missão interina da ONU no território (Unmik).

EFE |

Assim indica o diplomata no relatório sobre a situação do Kosovo que o Conselho de Segurança (CS) das Nações Unidas analisará amanhã.

A porta-voz da ONU, Michele Montas, disse hoje que nesse documento Ban ressalta que a Unmik "enfrentou desafios significativos, como as novas instituições que criadas e os novos papéis que as autoridades do Kosovo têm sob a nova Constituição".

"Esses desafios ressaltam a importância de a Unmik ser reconfigurada dentro da resolução 1.244", disse a porta-voz de Ban a respeito desse documento.

Em seu relatório, o secretário-geral das Nações Unidas também destaca que a missão da União Européia no Kosovo (Eulex) respeita plenamente a resolução 1.244 e vai operar sob a autoridade e dentro dos estatutos de neutralidade da ONU.

Além disso, regularmente terá que enviar informações ao CS.

Ainda segundo Montas, o documento preparado sobre o Kosovo faz referência "ao diálogo da ONU com o Governo da Sérvia em assuntos como segurança, alfândega, justiça, transporte, infra-estruturas e o patrimônio sérvio".

Outro ponto do relatório diz que "enquanto a Sérvia aceitou os resultados deste diálogo e os planos expostos (...), as autoridades de Pristina não o fizeram".

No entanto, o texto diz que Ban sente-se encorajado pelas indicações de que "Pristina está disposta a cooperar com a Eulex".

EFE emm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG