Ban considera que o Líbano emerge da crise com o novo Governo

Nações Unidas, 11 jul (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, assegurou hoje que a formação de um novo Governo de unidade no Líbano é um reflexo de que o país emerge de sua profunda crise política.

EFE |

O porta-voz da Organização das Nações Unidas (ONU), Farhan Haq, disse que o secretário-geral recebeu com satisfação a constituição do Governo de união nacional formado em conformidade com o acordo de Doha, firmado pelos principais líderes libaneses em maio no Catar.

"Considera que é um acontecimento importante que reflete que o Líbano continua emergindo de sua crise política e que revitaliza suas instituições constitucionais", apontou.

Acrescentou que Ban pediu aos libaneses que continuassem cumprindo os acordos de Doha e reiterou o apoio das Nações Unidas à consolidação da estabilidade e soberania do país.

Os acordos assinados pelos líderes das principais forças políticas libanesas no mês passado no Catar permitiram a eleição de Michel Suleiman para a Presidência do Líbano, que estava vaga desde novembro de 2007.

O novo Governo de união nacional formado hoje, 44 dias depois da nomeação de Fouad Siniora como primeiro-ministro, será de curta duração, já que terá que renunciar depois das eleições legislativas previstas para o próximo ano.

Dezesseis dos membros do Executivo serão designados pela maioria parlamentar de Siniora, 11 pela oposição e três pelo presidente Suleiman.

Siniora afirmou após o anúncio da formação do novo Governo que seus dois desafios principais são recuperar o crédito das instituições e reformar a lei eleitoral.

A ONU mantém cerca de 12 mil capacetes azuis no sul do Líbano para supervisionar o término das hostilidades que colocou fim ao conflito de 2006 entre a milícia xiita Hisbolá e as Forças Armadas israelenses. EFE jju/bm/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG