Ban condena detenção de Zelaya e pede que hondurenhos resolvam crise em paz

Nações Unidas, 28 jun (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou hoje a detenção do presidente de Honduras, Manuel Zelaya, e pediu aos hondurenhos para que se comprometam a resolver de forma pacífica suas diferenças.

EFE |

Ban expressou hoje, mediante uma declaração escrita, sua "profunda preocupação" pelos fatos de Honduras, assim como seu "firme apoio às instituições democráticas e a condenação da detenção do presidente constitucional" do país centro-americano.

O secretário-geral das Nações Unidas pediu a "restituição dos representantes democraticamente escolhidos do país e o pleno respeito dos direitos humanos, incluindo garantias de segurança para o presidente Zelaya, os membros de sua família e seu Governo".

Zelaya foi detido hoje por militares e levado contra sua vontade à Costa Rica, de onde denunciou seu "sequestro".

A detenção aconteceu horas antes do começo de uma consulta popular sobre a convocação de uma Assembleia Constituinte.

O Parlamento e a Corte Suprema de Honduras consideraram a convocação do plebiscito como ilegal.

O principal responsável das Nações Unidas pediu aos hondurenhos para que "se comprometam a resolver suas diferenças de maneira pacífica e em espírito de reconciliação".

Ban também elogiou os esforços diplomáticos da Organização dos Estados Americanos (OEA), cujo conselho permanente se reuniu este domingo para tratar da crise hondurenha. EFE emm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG